breaking news

Momentos da Vida … – Fevereiro / 09

Fevereiro 25th, 2009 | by Odv

Não estamos habituados a prometer o que não podemos ou não temos intenção de fazer e cá temos, como anunciado, mais novidades que desta vez são de peso. Pela primeira vez, em Odivelas, a comunicação social do Concelho atreveu-se a avançar com a transmissão de eventos, imagem e som, em direto para usufruto de quem queira seguir os acontecimentos em transmissão.
Não temos ilusões de que estamos a iniciar um caminho no qual nos iremos confrontar com dificuldades que serão tão maiores quanto o êxito que formos conseguindo.
O reconhecimento que temos sentido por parte dos, já muitos, odivelenses que percebem o esforço que está a ser feito e o objetivo que nos orienta é de tal forma gratificante que tudo faremos para proporcionar a Odivelas o veículo informativo local que deixe aos odivelenses a oportunidade de se aproximarem dos acontecimentos da sua própria terra.
Recusamos a facilidade e a cópia. Procuramos fazer diferente, eventualmente menos bem, mas diferente com certeza. E quem trabalha na comunicação social do Concelho é nosso companheiro de profissão, não é concorrente e muito menos adversário.
O CONCELHO
O Concelho entrou o ano com as preocupações orçamentais por um lado e com as preocupações eleitorais por outro, sendo que as segundas tendem a condicionar as primeiras. Cada grupo parlamentar autárquico vai tentando tomar as melhores posições para a corrida que se aproxima, ao mesmo tempo que vai tentando “contratar os atletas” mais aptos (na sua opinião) para integrarem a equipa a ser apresentada. É uma imitação barata daquilo que no futebol já é mau e que como cópia fica bastante pior.
No futebol como na política há uma precaução fundamental a ter em conta mas que os dirigentes tendem a esquecer por adesão ao mais fácil e essa é que, é muito mais importante ter uma equipa que ter um génio. É um princípio que tende a ser esquecido para mal de todos.
O PSD após a saída anunciada de José Esteves apressou-se a apresentar nova contratação, Hernâni Carvalho de seu nome. Conhecido da comunicação social, e premiado justamente, deseja-se que esta aquisição não venha a significar a perda de um bom jornalista para se ganhar… bem, sabe-se o resto. Para já na apresentação foi um pouco confuso, dizemos nós, porque pelo que nos pareceu HC aparece em rota de desvio da orientação nacional. De facto é repetidamente afirmada a oposição de Manuela Ferreira Leite aos grandes investimentos públicos (TGV, Aeroporto, autoestradas) e em Odivelas, logo na primeira aparição, HC começa por prometer mais uma auto-estrada. Não conhecemos o traçado mas pelo sim, pelo não, o pessoal da Ramada que se cuide !
A propósito da Ramada a contestação à L14 teve mais um capítulo e ameaça fortemente tornar-se um romance de terror. Como era de esperar, em tempo de aproximação eleitoral tudo serve para dar nas vistas, haja ou não razoabilidade na argumentação. Como diz o outro, é preciso é que falem de mim, bem ou mal tanto
faz. Neste comboio, está visto, embarcaram quase todos, lamentavelmente com o habitual
taticismo político a sobrepor-se ao bom senso que deveria conduzir às soluções. O PCP foi o primeiro a entrar no comboio, para o lugar do maquinista como é tradição, e agora leva como passageiros o PSD e essa curiosidade recem-aparecida que é o “Movimento Odivelas no Coração”. Não nos parece que tenham pago bilhete, antes
vão à boleia das manifestações que a habitual e confessada tática do PCP é brilhante a organizar. Quanto à L14, por nós começamos a ficar cansados com a irrazoabilidade da argumentação que agora vai servindo para manter o vapor na
caldeira. Parece-nos que a atitude dialogante da CMO e em particular da sua Presidente, apanhou de surpresa o “maquinista”, e mais ainda o ter sido possível apresentar soluções razoáveis para todos os problemas reivindicados, o que obrigou a uma mudança rápida dos textos. Onde se lia, e ouvia, poluição, perigo, ruído, velocidade passou a constar apenas “2 vias e rotunda” o que seria demasiado ridículo se não se lhe juntasse a “bomba de gasolina”, que não tendo nada a ver com a L14 e muito menos com as reivindicações apresentadas antes (referentes à L14), vem a
jeito de incluir no barulho. É a política, dir-se-á. É um caminho mau, dizemos nós.
No que tem a ver com dinheiros, o Orçamento municipal pretende disfarçar algumas das dificuldades por que todo o país está a passar, e a Presidente não deixa dúvidas de que o orçamento se cumprirá (?) se as receitas não caírem… Ora esta não é uma questão de por-menor porque a previsão generalizada é mesmo a de queda nas receitas, e significativa. Sendo esse o futuro mais previsível, faltou até agora anunciar o plano B. Ou será que está a ficar para outros se preocuparem com isso ?
Em entrevista que nos concedeu confessou que as grandes frustrações do mandato se chamam, Saúde e Água. Na primeira porque sendo uma função do Governo Central, teve ministro após ministro a fingir que fazia. Na segunda porque os responsáveis pelo SMAS de Loures fazem lembrar uma conhecida anedota, não fazem nem deixam
fazer. Compreendemos que estes sejam os pontos de desgosto de SA, mas em boa verdade a sua margem de manobra por ali não foi grande coisa. Acontece porém que em política, o que não se consegue fazer deveria ter-se conseguido. São as regrasdeste jogo.
Entretanto, este mês, algo se passou no Concelho de francamente importante, fora dos campos político e económico. Foi a passagem de Fernando Nobre pela Malaposta em conversa sobre cidadania. Verdadeira lufada de ar fresco capaz de animar os mais pessimistas. Há esperança, SIM ! Fernando Nobre é um Homem do mundo, cuja dedicação aos desamparados, humilhados, abandonados por todos faz com que frequentemente seja a única esperança de manutenção de muitas vidas por esse mundo fora. E é um Homem com esperança. Que direito temos nós para a recusar ?

O PAÍS
A política nacional quase caiu na modorrice da crise. Valham-nos os escândalos financeiros, muitos e variados, para animar o pessoal e manter o ego nacional em alta. Nós avisàmos que estamos a chegar às eleições o que para a classe política no poder significa “ora vamos lá ver o que podemos prometer mais” e para a da oposição “ora vamos lá ver o que temos para desfazer” !
Verdade, construção, interesse nacional… “qu’é, qu’é lá isso ?” Já agora, não vá haver alguma falha no esquema, deixamos a nota de recordação do caso de Camarate. Está na altura de nomear mais meia dúzia de comissões de averiguação. Alguns moderados (?) referem-se aos escândalos em vigor como coisas naturais… que
acontecem em toda a parte… diga-se pelos outros países também…. O Presidente“dali”, mais o monarca “daqui” ou o ministro “dacolá” também foram investigados, e também se falou em corrupção, e em luvas, e em envelopes, e … E depois ?, perguntamos nós, que temos a ver com isso ? Então e os honestos e capazes, não são para copiar ? E os que promovem desenvolvimento nos seus países não interessam ?
Somos um país de censores que, como diz José Vilhena, são tipos que separam a palha do grão… para aproveitar a palha !
Claro que é uma vergonha nacional o que se está a passar, mas é o resultado óbvio do laxismo, do governe-se quem puder, em instalação há anos com o beneplácito da justiça nacional comandada por políticos no mínimo indecorosos. As famosas derrapagens em tudo o que seja obra de estado, acontecem desde quando ? E os contratos milionários entregues diretamente a empresas cuja existência efémera é do conhecimento e tem o apoio dos decisores ? E os tais políticos que põem a seta primeiro e só depois desenham o alvo ? E tudo isto se passa com o conhecimento dos
Presidentes, dos Ministros (primeiros e segundos), dos gestores do Estado. Como ?
Porquê ? C’os diabos, até a basílica de Fátima derrapou 100%… Ninguém se salva neste país ? Como foram possíveis quase 900 anos ?

O MUNDO
Aí está a “Obomania” em pleno.
Preferimos esperar para ver. Desejamos ardentemente que a esperança que levou Obama ao poder dos Estados Unidos não seja desfeita por um qualquer “tornado”, daqueles tão habituais por aquelas paragens. Para o bem e para o mal, dele depende muito do desenvolvimento dos povos e da Paz no mundo. É muito mau que um homem só, tenha tanto poder. Mas já que é assim que o use com parcimónia, com nobreza e humanismo. É a esperança na resolução dos grandes conflitos mundiais, uns provocados diretamente, outros incentivados pela política de quero, posso e
mando que o pior presidente de sempre seguiu durante 2 mandatos. Obama tem muitos “cacos” para juntar e com eles tentar reconstruir algumas das peças principais do mundo político. Resta-nos tentar ajudar a que esse objetivo se cumpra, mesmo reconhecendo a dificuldade de terem de ser corrigidos erros de há dezenas de anos. O Médio Oriente é um desafio extraordinário à sua capacidade negociadora interna e externa, talvez o mais complicado de todos pelas dependências que envolve, mas Iraque, Afganistão, América do Sul, África, China, Coreias, Rússia… …
são problemas de sobra para um Presidente só. Vai ter muito com que se entreter.

Fevereiro/2009
www.odivelas.com

Comments are closed.