breaking news

Casa do Arcebispo ou Quinta da Memória

Janeiro 14th, 2010 | by Odv

Actual Paços do Concelho

De planta rectangular e de 2 pisos – um deles reconhecível por vãos abertos ao nível do embasamento – o edifício apresenta apenas vestígios de muros em alvenaria mista com soco de cantaria. No alçado principal a N., no seu extremo O., portal de verga recta com pedra de armas arquiepiscopal delimitada lateralmente por aletas e pináculos. No extremo oposto, definido por cunhal de cantaria (em aparelho de junta fendida), observa-se o que subsiste de 2 varandas suportadas por mísulas (já sem guarda) que serviam janelas de sacada. No alçado posterior permanece ainda parte de cunhal e emolduramentos em cantaria de 2 janelas também de sacada e verga recta, servidas por varandins – apenas testemunhados pela presença das bases e respectivas peanhas de suporte. Do lado E. do edifício reconhece-se a presença de parte de estrutura (primitivo mirante ou poço), articulada com o edifício principal através de fiada de pilastras, que suportam caleira de cantaria destinada à circulação de água.

Utilização Inicial : Residencial
Época Construção: Séc. 18

Cronologia
Séc. 18 – fundação da quinta e construção do palácio, por D. Rodrigo de Moura Teles (1644 – 1728), filho do 2º conde de Vale de Reis, sumilher da cortina de D. Pedro II, reitor da Universidade de Coimbra (1690), bispo da Guarda (1694) e arcebispo de Braga (1703) ; 1997 / 1998 – aquisição do edifício pela Câmara Municipal de Loures a D. Maria Leopoldina Rego Lima

Tipologia
Arquitectura civil barroca – casa de quinta de recreio.
Características Particulares
Cantarias de emolduramento de vãos denotando projecto arquitectónico de feição claramente erudita.

Dados Técnicos
Paredes autoportantes

Materiais
Alvenaria mista, reboco pintado, cantaria de calcário.

Comments are closed.