breaking news

Campeonato Nacional – 2ª DIVISÃO/ZONA SUL – ODIVELAS 1, ATL.REGUENGOS 2

Fevereiro 1st, 2010 | by Luis F. Silva

 Árbitro influenciou resultado

Ataque alentejano anulado pelo guardião odivelense

No Estádio Arnaldo Dias assistiu-se a um jogo fraco em termos técnicos e lento no que diz respeito ás manobras ofensivas. Ambas as equipas tinham em mente os pontos e os cuidados postos dentro das quatro linhas não deixaram que a emoção tomasse conta da partida.
Só no final da primeira parte e numa altura de maior insistência ofensiva dos alentejanos o jogo ganhou mais vivacidade e seria nesta altura (45+2) que o Atl. de Reguengos chegaria à vantagem por intermédio de Barry dando o melhor seguimento a um canto marcado do lado direito do seu ataque.
Para o segundo tempo o Odivelas veio com disposição para “virar” o resultado. A equipa reentrou bem, mais rápida e
esclarecida e os resultados chegariam aos 49 minutos com o golo do empate apontado por Wilson. Apesar disso e numa
desatenção da defensiva dos da casa, Barry bisaria aos 54 minutos numa jogada rápida do seu ataque.
Ainda se jogou bem por mais uns minutos, mas aos 60 o árbitro Marco Trombinhas quiz ser a figura do jogo e transformou um “penalty” claro sobre Giovany numa simulação de falta, pelo que em vez de mostrar cartão vermelho directo ao guarda-redes alentejano puniu o odivelense com o 2º amarelo e consequente expulsão. Na mesma altura e na sequência dos protestos odivelenses foi também expulso o treinador Paulo Reis, este a pedido do auxiliar que chamou o seu chefe de equipa para o fazer.
Até ao final e com menos uma unidade o Odivelas procurou o empate, mas o jogo voltou à toada morna inicial e o perigo andou afastado das balizas.
Não podemos deixar de considerar que, não é prudente nomear-se para um jogo um árbitro que pertence à mesma Associação que o próximo adversário de uma das equipas (Beja) sobretudo, quando a outra equipa não tem boas recordações de si, devido à sua actuação no Reguengos-Estrela, porque não se defende o àrbitro de eventual erro que possa ter. Fora isso, para Marco Trombinhas, os erros parecem suceder-se, o que deveria motivar o seu descanço por umas semanas.
 
Luis Filipe Silva

Comments are closed.