breaking news

Os momentos de 2010-Fevereiro [Editorial]

Fevereiro 8th, 2010 | by Odv

OS NOSSOS MOMENTOS

A recetividade ao “novo modelo” odivelas.com/OdivelasTV não podia ter sido melhor.
Só que… ainda falta muito para o novo modelo do odivelas.com/OdivelasTV ficar como nós o queremos.
Uns bocadinhos a pé, outros andando, vamos percorrendo o caminho que é o nosso.
Quando chegarmos, telefonamos !

NO CONCELHO
Há 1 ano que não fazíamos uma entrevista de fundo à Presidente Susana Amador.
Estava na altura de o fazer, face às alterações resultantes das eleições de Outubro passado e face às novas definições para o quadriénio em que se entrou.
Tínhamos perguntas para fazer, foram feitas (quase todas).
Esperávamos respostas, tivemo-las (quase todas).
Como de costume ficou muito para falar, analisar e criticar, mas nem nos compete a nós fazê-lo naquele momento, nem nos compete a nós ser oposição.
Cada qual que faça o seu trabalho.
Tivemos oportunidade de obter a garantia de que a situação que encontramos o ano passado relativa a crianças sem acompanhamento e sem apoio alimentar durante Agosto se não repetirá este ano.
Foi encontrada uma solução que resolve o problema imediato.
À falta de uma solução que vá ao cerne do problema, pois que seja assim… Ficamos contentes.
No Concelho continuam as preocupações com a Educação.
A Presidente fazendo visitas de verificação/confirmação do estado “da nação educativa” e o BE fazendo encontros de discussão e fazendo pontaria ao que está mal.

Escreveu Augusto Gil:
– “e as crianças, senhor, porque lhes dás tanta dor, porque padecem assim ?”
Porque o problema não são os professores quer se queira, quer não ! O problema são os alunos !
E sobre os manuais escolares e material de apoio não ouvimos uma palavra.
Quanto ao resto… segundo parece a contenção financeira terá de ser mesmo a doer.

NO PAÍS
O Orçamento de Estado já foi, embora as discussões análises e sugestões se mantenham.
Entretanto esta coisa das discussões à volta do OE tem sido um bom pretexto para fugir ao essencial.
Fala-se na crise, culpa-se a crise, aponta-se o dedo à crise, a crise é desculpa para todos os erros, desnortes e vigarices.
Mas qual crise ?
Fala-se de produtividade, fala-se de dívida pública, fala-se de orçamentação e principalmente de desorçamentação, fala-se do PIB e da produção de bens comercializáveis, fala-se da pesca, da agricultura, da indústria e do turismo.
Só não se fala daquilo que é preciso falar. Só não se fala do que é essencial.
Só não se fala da solução. Preferem-se os problemas… por comodidade, egoísmo e cobardia.
Não vale a pena produzir o que quer que seja, apostar na produtividade do que quer que seja, querer vender o que quer que seja sem resolver o mais reles dos problemas.
Nada… mas NADA mesmo valerá a pena sem honestidade, sem ética, sem verdade.
Portugal mergulhou num ciclo que não é vicioso, é viciado.
Os Partidos políticos que têm a responsabilidade de governar a Nação há muitos anos estão inquinados, TODOS.
A mentira campeia, a falsificação é o dia a dia, o nepotismo e a proteção a criminosos está aí já sem medo de ser conhecida.

De nada valerá qualquer esforço sem uma revisão profundíssima à matéria dada.
Qualquer ajuda que se queira dar ou que seja conseguida precisa de encontrar quem a transporte e ponha em prática. Não há ! Quem a recebe põe-na ao seu serviço singular.

Não há sentido de Estado, não há vergonha.

E como espinha dorsal deste cancro… não há justiça.

Para grande espanto nosso (talvez estejamos a ser profundamente injustos) acabou por ser o Presidente da República atual, Cavaco Silva, quem tem conseguido manter algumas ações certeiras de verdadeiro bom senso..
Apitos de todas as cores, faces ocultas e à mostra, bancos e banqueiros, sucatas e sucateiros, administradores, gestores, ministros (primeiros, segundos e terceiros), deputados, diretores (gerais e particulares), polícias, juízes, submarinos, helicópteros, pistolas, estradas, urbanizações, lixeiras e aterros, escutas e jornalistas (cómodos e incómodos)…
Falta alguma coisa ?
A Nação está corroída.
O Estado está corrompido.

NO INTERNACIONAL
Que se dane o internacional.

Odivelas 07/Fev/2010
(odivelas.com)

Comments are closed.