breaking news

Odivelas – Microsoft fez publicidade ao Millennium em aula para crianças de 9 anos

Fevereiro 9th, 2010 | by J Paiva Setubal

Esta manhã a coberto de uma ação de sensibilização dos mais jovens para a boa prática de utilização da internet fomos surpreendidos pela introdução de uma “bucha” (é assim que se chama no teatro) que incluiu 5 minutos de ação de propaganda a um banco cujas práticas são sobejamente condenadas.

Numa escola pública e para alunos de 9 anos, a Microsoft entendeu que a melhor maneira de falar de segurança na internet seria pôr alguém a fazer propaganda a um banco privado.

É condenável e a Microsoft deverá explicar-se e, no mínimo, pedir desculpa pela aldrabice da sua pseudo ação de formação.

Esta foi a primeira de 4 ações previstas.

Esperamos que os professores tenham tido em conta este facto e tenham impedido a realização, nestes termos, das restantes ações.

2 Comments

  1. J Paiva Setubal says:

    Agradeço o Seu comentário. Significa que nos dá atenção o que agradecemos vivamente.
    Estive presente na sessão que começou às 9:45 na Escola Melo Falcão
    Algumas afirmações base:
    – A Microsoft não realiza estas ações gratuitamente;
    – O millennium não participa nestas ações gratuitamente;
    – Nem desinteressadamente.
    Posto isto o que vimos foi uma ação de explicação de princípios de segurança louváveis de ser ensinados e usados. Até aqui nada a censurar. Acontece porém que o que foi dito não tem a ver nem com a Microsoft nem com qualquer banco. São princípios gerais, básicos, que devem ser ensinados às crianças e aos adultos, e que não necessitam de qualquer referência a entidade alguma, muito menos a entidades privadas que são pagas por preços impostos por eles mesmos.
    Fiz formação informática durante mais de 20 anos, incluindo “Segurança Informática”. Nunca tive necessidade de falar em qualquer entidade comercial e, aparentemente pelo menos, as ações em que participava funcionavam (revejo-me nos resultados obtidos pelos muitos que comigo estiveram ao longo dos anos). Pondo a coisa em termos empresariais posso informá-la que o “representante do patrão daquela empresa”, que também esteve presente à sessão, declarou publicamente o seu incómodo pela surpresa da propaganda que foi feita. Na minha opinião o que foi ali ensinado às cerca de 40 crianças presentes tinha a obrigação de ser ensinado pelos seus professores diretos e internos, sem necessidade de alguém exterior o ir fazer.
    Esta explicação é necessariamente muito ligeira pelo contexto em que se insere. Tentarei detalhar um pouco mais noutro local. Renovo o agradecimento pela Sua atenção. Os meus cumprimentos.
    JPSetubal

  2. ACM says:

    Sou professora de uma escola pública que beneficiou desta acção de sensibilização e lamento que tenha feito uma leitura tão distorcida, desagradável e de mau gosto sobre âmbito da mesma. Acabo de ver uma notícia na sic em que os meninos falaram de tudo o que aprenderam, menos de Millennium!!! Não sei o que viu, mas na minha escola não assisti a qualquer propaganda ou abordagem comercial, mas sim a mensagens sobre uma utilização responsável da Internet que são cada vez mais importantes transmitir aos nossos alunos, numa altura em que a utilização do computador e da Internet fazem parte da rotina. Penso até que as empresas que estão ligadas às TIC e mesmo entidades bancárias que oferecem serviços através da Internet devem, numa lógica de responsabilidade social, ser as primeiras a preocuparem-se e a sensibilizarem os cidadãos para alguns cuidados a ter. Agradeço, por isso, a oportunidade proporcionada aos meus alunos, os folhetos informativos que a Microsoft nos disponibilizou e ainda ao BCP que, através de 2 diapositivos, conseguiu deixar uma mensagem muito clara sobre a importância de definir senhas seguras… que é uma mensagem transversal a clientes de outros bancos e, sobretudo, a utilizadores de vários serviços online.