breaking news

Odivelas F.C. – A história de um óbito anunciado

Fevereiro 19th, 2010 | by Odv

O tema central da última Assembleia Municipal de Odivelas de dia 18 de Fevereiro, foi o “Odivelas F.C. “
O assunto foi trazido à discussão pela mão de José Falcão do BE que apresentou ao plenário uma Moção referente ao “Odivelas F.C.”, que não viria a ser aprovada com os votos contra do PS e PSD , as abstenções do CDS e da CDU e o voto a favor do BE.
Tendo sido declarada a sua Insolvência em Março de 2006, o Odivelas F.C. vive um período de grande instabilidade, considerando alguns dos deputados municipais que o clube está de há muito em estado de coma.
O Vereador do Desporto, Hugo Martins, na sua intervenção deixou claro que, por imperativos legais a Câmara de Odivelas está impedida de auxiliar o Odivelas F.C. para além de ajudas nos transportes e o pagamento de uma ou outra despesa menor como foi o caso recente da Água cujo fornecimento ao clube esteve em vias de ser cortado por falta de pagamento aos SMAS.
Grande parte das intervenções no plenário debruçaram-se mais no futuro de todo o património e terrenos e na sua retoma pelo Município, sendo geralmente aceite que, tal como Luís Salmonete do PSD declarou: “O Odivelas F.C. morreu”.
Para quem assistiu a esta reunião da Assembleia Municipal de Odivelas ficou claro que o Odivelas F.C. tem a sua certidão de óbito passada, está insolvente e não tem reabilitação.
Uma nota final para Xara-Brasil do CDS que, na sua intervenção, alertou para o facto da estrutura profissional – “Odivelas SAD” continuar a usar as instalações do Odivelas F.C. sem que efectue o respectivo pagamento.
Aconselhamos a todos o visionamento da reportagem em anexo.

5 Comments

  1. Fernando says:

    Senhor Jorge Teixeira,

    Como pode verificar o senhor é que esta mal informado ou acompanhado hora veja com atenção e leia bem se tiver duvidas volte a ler.

    http://odivelas.wordpress.com/2009/07/30/cronica-de-uma-morte-nao-anunciada-ou-por-outras-palavras-a-historia-de-como-o-odivelas-feminino-acabou/

    Por onde começar? Talvez pelo fim. No dia em que a equipa de futebol feminino do Odivelas Futebol Clube acabou, as jogadoras, treinadores e directores sabiam tanto sobre o assunto como o Presidente da República.

    É mais que conhecido – e já o tínhamos referido aqui várias vezes – que o Odivelas atravessa um processo de insolvência, fruto de dívidas acumuladas ao longo de vários anos e de dinheiro esquivo, daquele que desaparece mas ninguém sabe muito bem para onde. Pois então que, há uns meses, por ordem do tribunal, foi nomeado um administrador da insolvência que, por sua vez, recebeu o apoio de uma comissão de trabalho liderada por Luís Baptista, director da SAD do Odivelas.

    Numa reunião que teve lugar no final de Junho, o administrador e a comissão informaram as várias modalidades do clube (exceptuando as do futebol masculino) que estas seriam encerradas, a não ser que (no caso do futebol feminino) apresentassem uma garantia bancária de 22 mil euros, que asseguraria ao banco que as despesas da época teriam cobertura. Ora o director do futebol feminino do Odivelas, José Carvalhais – que também era vice-presidente do clube -, fez questão de assinalar entre os seus pares que o futebol feminino não acabaria, nem que ele tivesse de pagar as despesas do seu bolso.

    O gesto, ainda que bonito, de pouco valeu, visto que, a última vez que vi, as convicções ainda não pagam dívidas. Nas semanas seguintes, no entanto, talvez descansado pela prova de força que teria demonstrado nessa reunião, José Carvalhais ignorou (ou não recebeu, consoante as versões) os repetidos avisos para a apresentação da garantia bancária e foi, inclusive, de férias. Por esta altura, ainda jogadoras e técnicos do Odivelas dormiam descansados, sonhando com a disputa da I Divisão que ainda estaria para vir em Setembro.

    À falta de respostas de José Carvalhais, a comissão e o administrador do Odivelas não estiveram com meias medidas e replicaram com um acto impiedoso: enviaram um fax à Federação Portuguesa de Futebol a informar a entidade da desistência da equipa de futebol feminino do Odivelas. Estima-se que, àquelas horas, as jogadoras e técnicos do Odivelas estivessem na praia a gozar o Verão ou então a sonhar com a época que se avizinhava. Uma dessas. Tomada esta acção drástica, estava terminado o futebol feminino do Odivelas Futebol Clube, campeão da II Divisão Nacional na época anterior.

    Alguns dias depois, mais coisa menos coisa, começaram a chegar rumores (mas de fora do Odivelas, atenção) a técnicos e jogadoras informando-os do seu destino trágico. Incrédulos, todos começaram a tentar confirmar o feito. E confirmaram-no. E ficaram incrédulos novamente. Ligaram a José Carvalhais, que balbuciou meia dúzia de tretas, sem tirar nem pôr. Ligaram a Luís Baptista, que lhes explicou que a comissão não tinha tido escolha perante a imperturbabilidade de José Carvalhais, mas que se as jogadoras e técnicos ainda conseguissem arranjar uma garantia bancária de 22 mil euros (que, mais tarde, se viria a transformar num adiantamento de “apenas” 10 mil euros, podendo o restante montante ser pago na segunda metade da época), a comissão teria muito gosto em voltar a informar a Federação da não-desistência do Odivelas.

    JA FICOU A SABER MAIS UM POUCO

    Á MAIS,

    Perca de receita pois pode verificarar no site do senhor Fraga.

    A comissão entrou a 16 de Junho 2009 como podem verificar no site que era do clube e agora é gerido pelo senhor Humberto Fraga pode-se ver quantos alunos tinha a escolas 200 se o clube perdeu 250 atletas não foi com esta comissão o este senhor já se esqueceu que os professores na sua gestão fizeram uma greve porque não recebiam.

    http://odivelasfc.com/sitev4.asp?OP1=03&OP2=01&OP3=&TOPIC_ID=3229

    http://odivelasfc.com/sitev4.asp?OP1=03&OP2=01&OP3=&TOPIC_ID=3228

    COMUNICADO

    Tem sido apanágio da comissão, não entrar em diálogos ou alimentar polémicas na “praça pública”, apenas preocupando-se em trabalhar em prol do Odivelas Futebol Clube. Bem, mal? Garantimos que é o melhor que podemos, face às limitações existentes. É o melhor que conseguimos depois de inclusive chegar a um Clube cujo fornecimento de luz, foi deixado cortar pelo sr. Humberto Fraga!
    Aliás, o que nos leva a emitir o presente comunicado, são as recentes declarações desse senhor no “Meu Jornal”; as quais, pelo seu teor falso e tentando agir como branqueadoras das suas acções, não podem ficar sem resposta.
    Senão veja-se:
    Em Maio/Junho do ano passado, agendou-se e realizou-se uma sessão de esclarecimento junto dos sócios do clube, a qual teve lugar no CAELO.
    Aí foi dito pelo Senhor Administrador de Insolvência (legal representante do clube):
    – Que tinha permitido a gestão do clube por esse senhor, sob o compromisso de lhe serem prestadas informações detalhadas do clube, passo a passo.
    – Ao invés, o senhor Humberto Fraga nada lhe dizia e ia delapidando o clube, tendo sido por esta razão, afastado do clube.
    Após tal decisão, foi endereçado uma série de convites a alguns sócios do OFC, pelo Administrador de Insolvência, para auxiliarem este na condução dos destinos do clube. Que fique bem claro e bem explícito, que ninguém pediu que tal convite lhe fosse endereçado ou que fosse escolhido para conduzir os destinos do clube, apenas algumas pessoas anuíram ao repto lançado pela oportunidade de ajudar o Clube da terra.

    Posta esta breve introdução, muito nos espantam as declarações prestadas pelo senhor Humberto Fraga ao “Meu Jornal”!
    Declarações prestadas pelo mesmo senhor que em pleno CAELO repleto de sócios do Odivelas Futebol Clube, disse ter falsificado uma assinatura de um ex-director do clube, num documento que entregou em Tribunal! É esta pessoa digna de credibilidade!?
    Mais, fala esse senhor que a presente Comissão de apoio ao Senhor Administrador de Insolvência é responsável pela perca de receitas para o clube!

    Contudo esquece-se este senhor de acrescentar e esclarecer, que em finais do ano de 2008, recebeu dois anos de renda adiantada do ginásio (instalado no complexo do Clube); dinheiro este que não apareceu nem deu entrada no Clube.
    Não sabemos efectivamente por onde andará tal verba, mas sabemos quais os órgãos e instâncias judiciais competentes para o averiguar!

    O Bar encontra-se fechado por ordem do Senhor Administrador de Insolvência, uma vez que, quem estava a explorá-lo não pagava as rendas! Esqueceu-se aqui também o senhor Humberto Fraga de esclarecer que foi ele quem escolheu essas pessoas.

    Fala também esse senhor da Loja de Desporto; mas novamente, esquece-se de esclarecer que quando esta comissão chegou ao clube essa loja já estava fechada (desde finais de 2008 ou início de 2009) e com um crédito de cerca de 6000€ sobre o Odivelas FC, criado pelo senhor Humberto Fraga.
    Questionem-se os legais representantes da “Fivezone”.

    Sobre a Masterfoot, questiona-se: fazer um contrato de exploração diária (2ª a 6ª feira) das 21h às 24H de um campo de futebol 11, por um valor/hora de cerca de 30€, é benéfico para o clube!?
    Ter 4 equipas de futebol 7 em simultâneo, a jogar por hora, com holofotes ligados e banhos tomados, será rentável!?
    Ou feitas as contas, ponderado um orçamento real de despesas vs receitas, seria ainda mais ruinoso para o clube!?
    É isto receita!? Bem…seria sim….para quem não pagava água, luz e gás.

    Quanto ao facto das quotas ainda não estarem a pagamento; tal deve-se única e exclusivamente, entre outras situações que dizem respeito ao melhoramento e inovação, à introdução de um novo programa informático no clube. Contudo, ainda que penitenciando-nos por tal situação, podemos afirmar que ainda nesta semana teremos as quotas no cobrador e estarão a pagamento na Secretaria do Clube.
    Mas esqueceu-se o senhor Humberto Fraga de referir, que no ano passado, as quotas não foram antes colocadas á disposição dos sócios. Memória curta, enfim…

    Reduziram-se equipas!? Sim, reduziu-se! Gostámos desta solução? Não!
    Mas perante o cenário encontrado, não foi deixada outra solução.
    Não somos utópicos ou criadores de ilusões e não gostamos de enganar ninguém. Basta perguntar aos atletas do futsal, futebol feminino e corfebol, pelas promessas feitas por tal senhor e pelas que foram cumpridas!

    Uma coisa é certa, ninguém virá acusar esta comissão de não ter cumprido promessas feitas. Mais uma vez realçamos a postura dos nossos técnicos de futebol e saúde, aproveitando esta ocasião para lhes agradecer o esforço que têm dispendido em prol deste Clube.

    Acresce ainda a este comunicado a informação: que não estamos “agarrados ao poder”.
    Queremos o melhor para o Clube e tal passa pela sua viabilidade e continuidade, pois ao contrário (talvez por confusão, por benefício ou por ignorância jurídica) do que é dito, este não está extinto!
    Mais, nenhum dos actuais membros da comissão irá integrar qualquer lista futura aos órgãos sociais do clube, caso se alcance a sua continuidade.

  2. fjgtds says:

    Caros companheiros, ouvi hoje os comentários do Digníssimo Deputado Dr. Fernando Ferreira na Assembleia Municipal, e infelizmente, o Digníssimo Deputado fez afirmações erradas, obviamento sem malícia mas porque está mal assessorado. Passo a explicar por pontos.
    1. O Prisidente eleito Humberto Fraga, não tem qualquer processo judicial contra ele, relativo à gestão do Odivelas F.C.
    2. Presentemente à uma possibilidade de pagamento para todos os credores ponde fim ao processo de insolvência.
    3. Caso isto aconteça, o Odivelas F.C. continuará a fazer o que sempre fez ou seja ajudar o povo de Odivelas a praticar desporto, e a ajudar a moldar a nossa juventude nas áreas mais importantes da vida, saúde física, camaradismo e disciplina.
    4. As “pessoas de bem” que o Adminstrador colocou na gestão do Odivelas F.C. têm destruido financeiramente o clube, com as receitas a diminuir para um quinto do que era dantes, não pagando os salários ao pessoal pelo menos há três meses. Causando uma diminuião nas classificações das eqiuipes que lá praticam desporto, pois toidas as equipas desceram de classificação.
    5. Um das “pessoas de dem” “responsáveis” que o Adminstrador escolhei para o auxiliar na gestão, representa uma entidade que é devedora ao Odivelas F. C. de ,mais de 80.000,00€ e continua a utilizar o Odivelas F.C. , o campo, os balneários, etc. sem fazer qualquer pagamento com uma equipa estranha ao Odivelas F.C.
    6. Durante a gestão da equipa do Sr. Humberto Fraga, os Clube subiu nas classificações, tinha receitas suficientes para parar com a insolvencia (Plano apresentado aos credores a aprovado por todos os presentes) e agora, as receitas são minimas e os gastos continuam a subir.

    É necessário termos conscientcia do que dizemos, e antes de o dizermos devemos pelo menos verificar que essas afirmações estão correctas pois se não demonstra uma falta de conhscimento inadmissível para um Membro da Assembleia Munivipal de Odivelas.

    Com os meus cumprimentos

    Jorge Teixeira dos Santos

  3. Fernando says:

    Um exemplo a seguir.

    Caros Amigos e Amigas,

    Vejam como se pode ajudar um clube com um processo de INSOLVENCIA e não é necessário esconder nada de ninguém.

    Será que o presidente da Câmara Municipal de Angra do Heroísmo está a cometer um crime ao ajudar um clube INSOLVENTE?

    Poderá a nossa Presidente de Câmara seguir este exemplo e aplica-lo ao Odivelas FC?

    Ou será que nos Açores as leis são outras e os Advogados da Câmara estão passar uma informação errada ao Presidente da Câmara?

    Leiam esta noticia pois é publica.

    1 – noticia pois são 3.

    80 mil euros adiam insolvência do clube

    O financiamento de 80 mil euros que a Câmara Municipal de Angra do Heroísmo atribui este ano para apoio à actividade desportiva do Lusitânia dos Açores deverá estar disponível na próxima semana, disse à agência Lusa a presidente da Câmara de Angra. Andreia Cardoso admitiu que o financiamento pode contribuir para ajudar a resolver os problemas imediatos, permitindo assegurar a participação das equipas do Lusitânia envolvidas na Liga profissional de basquetebol e na Série Açores da III Divisão de futebol. Declarou, porém, ter “muitas dúvidas sobre a possibilidade” de sobrevivência do clube, face à “complexidade” da situação financeira com que se debate.

    2-

    A Comissão Executiva do Lusitânia deu por terminada esta segunda-feira a atividade desportiva do clube, um dos mais emblemáticos dos Açores, avançando nos próximos dias com o processo tendente à declaração de insolvência.

    “Por iniciativa dos atletas, as equipas do Lusitânia envolvidas na Liga profissional de basquetebol e na série Açores da III divisão de futebol ainda poderão participar em algum jogo, mas o clube não dispõe de meios para garantir a presença em competição”, afirmou à Lusa João Meneses, porta-voz da Comissão Executiva.

    O dirigente do clube de Angra do Heroísmo explicou que a decisão de encerramento da atividade desportiva decorre da recusa de uma instituição bancária em renegociar a dívida do Lusitânia, confrontado com um “bloqueio completo das suas receitas”.

    O processo para a declaração judicial de insolvência vai começar a ser tratado nos próximos dias por um jurista do clube que agrega 500 atletas.

    Apesar de ter baixado nos últimos dois anos de 4,5 para cerca de 3 milhões de euros, a dívida do clube supera em muito o seu património, avaliado em 1,5 milhões de euros, e os seus credores pretendem proceder à execução de penhoras.

    3-

    Açores: Dirigentes do Lusitânia discutem pré-acordo com credores para salvar clube

    A Comissão Executiva do Lusitânia reúne-se esta quarta-feira à noite, em Angra do Heroísmo, para debater um pré-acordo negociado com os credores, o qual poderá garantir a sobrevivência de um dos mais emblemáticos clubes dos Açores, ameaçado de insolvência.

    Sem revelar o teor do entendimento negociado com os credores por um dirigente lusitanista, um responsável dos “leões” de Angra disse à Agência Lusa que a sua validação carece de aprovação pela Comissão Executiva.

    O volte-face nas negociações com os credores ocorre depois, de na segunda-feira, os dirigentes do Lusitânia terem anunciado a suspensão das actividades desportivas e de a presidente da Câmara de Angra ter revelado a disponibilização, na próxima semana, de um financiamento de 80 000 euros ao clube.

    Em declarações à Lusa, Andreia Cardoso admitiu que o financiamento poderá contribuir para ajudar a resolver os problemas mais imediatos do clube, permitindo, nomeadamente, assegurar a participação das equipas do Lusitânia envolvidas na Liga profissional de basquetebol e na Série Açores da III Divisão de futebol.

    Embora tenha caído nos últimos dois anos de 4,5 para cerca de três milhões de euros, a dívida do clube supera em muito o seu património, avaliado em 1,5 milhões de euros.

    Fundado em Junho de 1922, o Lusitânia agrega um total de cerca de 500 atletas e foi a primeira equipa açoriana a ingressar nos campeonatos nacionais de futebol (época 1978/79).

  4. NOGUEIRA64 says:

    Questões politicas á parte,
    Devo dizer que desde Junho de 2009, assisti ao louvável e titânico esforço de funcionários, treinadores, centenas de jogadores e pais para manter o clube de portas abertas, altura em que foi afastado o sr. Fraga, por irregularidades na gestão de apoio ao administrador de insolvência. Algumas pessoas com credibilidade, foram convidadas pelo Sr. Administrador para o apoiarem na gestão corrente do clube no decurso do processo de insolvência, outros de forma anónima foram colaborando sempre com o mesmo intuito manter o Clube vivo, e por isso chamo a atenção do senhor Vereador do Desporto da Câmara Municipal de Odivelas, que é verdadeira a afirmação “o Odivelas está vivo”. O Odivelas vive no coração de milhares de pessoas, que de forma apaixonada e desinteressada, abraçaram o clube para que continuasse de portas abertas e a servir a população e o mais importante, a juventude. Desprezar o que tem sido feito nos ultimos meses, por funcionários, treinadores, comissão de apoio, pais e jogadores, entre outros, que apesar das dificuldades e do futuro incerto, defendem as cores do Odivelas FC e da CIDADE DE ODIVELAS, dignificando e elevando bem alto o nome do Municipio, é indecente e inaceitável.
    Apelo todos os Orgãos Municipais que não deixem cair esta força e esta união e congreguem energias e esforços para que o clube não encerre e mande para a rua centenas de jovens, que não podem sofrer na pele os desvarios e erros de direcções que conduziram o clube a esta situação. É verdade que a Câmara não tem a culpa pelo clube ter chegado onde chegou, e terá ajudado e muito no passado o clube. Mas também não pode encolher os ombros e esconder-se atrás de argumentos juridicos, e esquecer um problema social da maior gravidade e que envolve um sector sensivel da população e do Municipio a sua juventude. Para isso não bastam palavras são necessárias acções.

  5. Fernando says:

    Passo a informação ao senhor Fernando Ferreira se o Odivelas FC fechar todas as equipas vão para os distritais.
    Se o clube acaba como pode continuar a pratica desportiva.
    Enquanto á vida á esperança e essa será até a ultima,mais informo.

    Só morre quem existe… e o Odivelas Futebol Clube EXISTE!
    Caros(as) Sócios(as) e simpatizantes desta Instituição quase secular, é de conhecimento geral a fase de dificuldades que o Clube atravessa bem como a sua possível extinção!
    Contudo, convém saber e reter que Liquidação não é sinónimo de Extinção.
    Para quem não se encontre familiarizado com estes conceitos, tidos numa interpretação jurídica, convirá esclarecer que Liquidação não se confunde com Extinção!
    Assim como, também não será de admitir, ouvir que o OFC já não existe; alicerçando-se esta convicção na declaração de Insolvência da Instituição.
    As alterações legislativas ocorridas no ano de 2004, que operaram junto do regime da falência, levaram o nosso ordenamento jurídico a evoluir para a recuperação/viabilização na situação de impossibilidade, por parte do devedor do cumprimento das obrigações vencidas.
    Na génese da Insolvência está a recuperação… a viabilização!
    Foi com esta base que a Instituição, mesmo após declarada sua insolvência continuou a sua missão!
    Continuou a levar a cabo a formação de Jovens! Continuou a representar o Concelho de Odivelas nas Competições em que se encontrava inscrita! Continuou a manter nas suas instalações centenas de jovens a praticar desporto em aprendizagem, em formação e em competição!
    A lei é clara! O devedor não deixa de existir – pois se assim fosse, não teria personalidade jurídica/judiciária, caindo-se ainda no ridículo e afirmar-se-ia que nem responsabilizado poderia ser!
    A instituição por se encontrar Insolvente é neste momento representada pela massa insolvente, pelo Administrador de Insolvência pela Assembleia de Credores …