breaking news

Assembleia de Freguesia de Odivelas – Um diálogo de “surdos”[Video]

Outubro 1st, 2010 | by Luis F. Silva

Decorreu ontem na Arroja a Assembleia de Freguesia de Odivelas, que acabou por ser interrompida às 24 horas, quando se discutia o 2º ponto da Ordem de Trabalhos, ficando a sua continuidade agendada para data ainda a marcar pelo Presidente, que para o efeito está já a contactar os lideres de cada bancada.

Foi uma Assembleia quente, que teve de ser interrompida pelo Presidente David Viegas por dez minutos, para que os ânimos mais exaltados se acalmassem e durante a qual foi aprovada a proposta de revisão orçamental, apresentada pelo executivo, com os votos favoráveis do CDS/PSD, PS e o eleito independente, a abstenção do BE e os votos contra da CDU.
Na sua argumentação a CDU referiu erros vários na elaboração do documento, que passam entre outras questões, pela valorização de material já adquirido entre o orçamento aprovado em Abril e esta rectificação, tendo o executivo respondido com a confirmação dos números inclusos no documento.

Foi também aprovada, uma recomendação apresentada pelo CDS/PSD que vai no sentido da criação pela autarquia de um centro de explicações para jovens carenciados, sem no entanto especificar, as condições que levam a determinar a carência, nem quem ministrará essas explicações. Esta proposta, que numa atitude concertada já foi também apresentada nas Assembleias de outras freguesias recebeu votos favoráveis do CDS/PSD e independente, contou com a abstenção do PS e os votos contra da CDU e do BE.

Também foi aprovado um voto de protesto aos SMAS, pela forma como têm vindo a lesar os munícipes de Odivelas, apresentado pelo PS que o votou com o CDS/PSD e independente e recebeu o voto contra da CDU e BE, tendo António Pedro (CDU) recordado que tanto os SMAS, como a C.M.Loures e a C.M. de Odivelas são geridos por socialistas que mantêm sobre este assunto uma guerrilha própria e que com isto, só pretendem “abrir” o caminho à iniciativa privada.

Finalmente na discussão do 2º ponto da Ordem de Trabalhos, discutiram-se os contratos de locação em regime de “leasing” da Junta de Freguesia.

António Pedro (CDU) considera os contratos ilegais, visto não terem, como a Lei determina, sido apresentados e discutidos em Assembleia, a acrescer ao facto de num dos casos e segundo auditoria independente já efectuada, o material objecto do contrato não ter dado entrada na Junta de Freguesia, o que até poderá configurar um crime público.

Vitor Machado aponta o anterior executivo como responsável pela situação, reafirma que “travou” o que era possível parar, mas mantém que, a Junta deve continuar a pagar os montantes exigidos pelo contrato.

À margem desta Assembleia, a equipa de reportagem da odivelas.com constatou que na escola da Arroja, recentemente inaugurada, algumas tomadas não têm corrente eléctrica.

Luís Filipe Silva

Comments are closed.