breaking news

Odivelas – BLOCO DE ESQUERDA protesta contra as condições da Ribeira de Odivelas [Video]

Outubro 7th, 2010 | by Luis F. Silva

O Bloco de Esquerda/Odivelas, realizou ontem o 1º Concurso Internacional de Pesca Desportiva em Odivelas, na Avenida Don Dinis, mais precisamente na ponte entre o bairro Olaio e o Bairro Doutor Lima Pimentel.
A acção humorística quanto baste, face à seriedade e gravidade do assunto, reuniu no local um vasto grupo de pessoas, entre moradores e passantes no local, que não ficaram indiferentes, chegando mesmo, alguns a intervirem directamente no acto organizado pelos bloquistas.
Dizem alguns que aquilo é uma espécie de ribeira, mas na realidade, é apenas uma vala ao abandono, onde coabitam lixo variado, mato a granel e uma fauna exclusiva de rattus
norvegicu, a ratazana comum.
Segundo o comunicado do Bloco de Esquerda, “este é um dos símbolos de uma política irresponsável e de um planeamento urbano fracassado, onde o betão arrasou a paisagem e transformou os cursos de àgua em acumuladores de detritos”, deixando “uma cidade à mercê dos interesses especulativos da construção civil e que despreza continuamente a qualidade de vida das populações”.
É um espaço feio, porco e mau, que o B.E./Odivelas considera “inaceitável num país que se diz civilizado e num concelho que se diz de oportunidades.
Em comunicado, os bloquistas concluem que “é por tudo isto, que faz sentido organizar um concurso de pesca desportiva numa ribeira onde não existem peixes. Para denunciar uma politica de irresponsabilidade ambiental e lutar por um reordenamento urbano, que ponha em primeiro lugar as pessoas”.

Como qualquer concurso que se preze, este também teve um vencedor, José Falcão, que conseguiu tirar duas sandálias, tamanho 42 e um garrafão. Na 2ª posição ficou António Fernandes com uma garrafa e uma bota. Este concorrente deixou fugir 1 garrafão, que poderia ter feito toda a diferença na classificação final. No último lugar do “podium” ficou
Francisco Fontinha, um sério candidato à vitória, face à qualidade do equipamento, que não conseguiu mais do que um pato morto.

Luis Filipe Silva

3 Comments

  1. MaximaVaz says:

    Maria do Carmo, ninguém tem que me agradecer o exercício da cidadania, mas confirmou o que sinto – a estima de quem me conhece e isso é muito gratificante e a única recompensa que me agrada. Apoio sempre as iniciativas com vista ao bem comum, e foi o caso desta. Espero ver mais.

  2. vangog says:

    Palavras para quê? A Dra.Máxima Vaz ,disse tudo.Será por Ela dizer tanto,e ter tanto para dizer,que cada vez a vemos menos?
    Obrigado Dra,por tudo o que nos tem ensinado e continua a ensinar.Pena que não seja ouvida em assuntos essenciais do presente da nossa Odivelas.
    Com os meus respeitosos cumprimentos,
    Maria do Carmo.

  3. MaximaVaz says:

    Parabéns pela ideia e pela concretização. Odivelas precisa de cidadãos que exerçam a cidadania. Aqui está um bom exemplo.
    Odivelas tem quase esgotado o solo edificável. Agora começaram já a demolir pequenas habitações na zona histórica sem respeito nem sensibilidade, para construírem em altura onde só há casas de r/c ou R/c e 1.º andar. Dizem que podem. Poder podem, mas não devem. Os povos com cultura preservam a sua história e o seu ambiente. Há malfeitorias que depois não têm remédio.