breaking news

Oposição Não Foi a Jogo – Assembleia Municipal de Odivelas em 27/Abril/2011

Abril 29th, 2011 | by Antonio Tavares

Era suposto que a Assembleia Municipal de Odivelas de 27/Abril p.p., em que um dos temas era a “Prestação de Contas de 2010”, fosse um dos pontos altos do debate no Parlamento Local. Não foi nem esteve perto disso e das duas uma ou a Oposição tirou férias ou faltam-lhes os talentos e o engenho.

Oposição não foi a Jogo

Faltou qualidade técnica no debate e foi até confrangedor a inexistência de propostas alternativas à “Prestação de Contas de 2010” apresentada pelo Executivo. Abundam na Assembleia Municipal os homens para levantar o braço e há poucos, muito poucos, para tecerem intervenções que ultrapassem o simples erguer de braço no ar.

Não sabemos se a Oposição vai continuar neste tom de apenas marcar presença enquanto o Executivo à falta de opositores se fica pelos serviços mínimos mas não houve debate político na Assembleia Municipal de dia 27 de Abril.

Os custos da Democracia são reconhecidamente inerentes ao Sistema mas, quando os representantes produzem trabalho que se veja e acrescentam valor ao debate político, entendendo-se a Política como a luta dos ideais e não a arte menor das manhas e tricas.

Com um CDS/PP reduzido aos tempos de intervenção indexados a 2 Eleitos e uma CDU que sem uma palavra sobre a “Prestação de Contas” apenas apresentou reivindicações das suas Freguesias Ramada e Caneças, com uns salpicos críticos de Lúcia Lemos sobre o Pavilhão Multiusos e a Municipália, esgotou-se assim o Debate sobre o ponto “Prestação de Contas” não sem que, a finalizar, Eduarda Barros do PS deixasse uma farpa à CDU acusando-a de perante o Documento apresentado “Não ir a Jogo”.

Há realmente alguns Eleitos que se imaginam apenas a funcionar num circuito fechado em que interagem apenas entre os seus pares mas os tempos e os modos vão sendo cada vez mais mediáticos e mais exigentes e a breve trecho, de um modo ou de outro, o cenário vai ter de ser alterado a começar pela redução do número de Deputados Municipais, a que eu acrescentaria, uma maior exigência na sua qualidade.

Como é vulgo ouvir-se nos debates da Assembleia Municipal, estamos a falar de dinheiros públicos e isto aplica-se ao ponto “Prestação de Contas de 2010” e ao desempenho dos Deputados Municipais.

António Tavares

Comments are closed.