breaking news

“PENTELHOS”

Maio 13th, 2011 | by Oliveira Dias

Por falar em pêlos púbicos, hoje apetece-me falar do PSD, mais concretamente do putativo candidato a ministro das finanças de Pedro Passos Coelho – Eduardo Catroga no seu melhor.

Ora este ilustre figurão do PSD, deu um ar da sua graça, ex-ministro das finanças de Cavaco, de cuja herança politica ninguém consegue lembrar-se, a não ser a sua passagem, sem glória, pelo governo, entusiasmado com o seu chamado á ribalta – oh saudades, ferida que dói e não se sente – para ser o testa de ferro de Pedro Passos Coelho, em matéria financeira, facto aliás legitimador da sua promoção a criador do programa do PSD, embora a lentidão com que o faz, fez o seu líder passar pelo vexame de ir para um debate televisivo de mãos a abanar, sem programa politico. O único programa em cima da mesa era o do PS.

Eduardo Catroga é um criativo, reconheça-se-lhe isso. Conseguiu “linkar” a politica com o erotismo. Influências italianas, via Silvio Berlusconi ? Não sei.

O que sei é que lá para a Itália o politico Berlusconi sempre vai dizendo que é “vero macho” gostar de mulheres gostosas – oh como te compreendemos – e sempre é melhor do que ser gay. Palavras do homem.

Por cá Catroga diz que bom mesmo é o que ele faz, o resto são pentelhos. Portanto usando a mesma analogia qual das suas erráticas ideias será, para ele, a vulva ?

Vou dar umas dicas com base nas suas recentes declarações, como são muitas, e o espaço aqui é pouco, seleccionei as seguintes:

O PS anda a reboque das ideias do PSD ” para quem manda o seu líder para um debate com o potencial primeiro ministro, sem programa politico, ao contrário do PS …

A cerveja não deve estar na taxa intermédia do IVA” não sei ao certo que cerveja anda Catroga a beber, certo mesmo é que a cerveja que os portugueses bebem paga já a taxa máxima.

Sócrates é como Hitler, arrasta multidões” Hitler chacinou, em duas guerras mundiais 50 milhões de pessoas, a sua politica era o extermínio, o mais próximo dele, nos tempos actuais só se for mesmo o Terminator (Schwazneager, por acaso austríaco como Hitler, mas é só coincidência).

A gestão da CGD é pouco transparente, depende do governo e é pouco profissional” Ora Faria de Oliveira, Presidente da CGD, seu companheiro de partido e também ex-ministro de Cavaco, não deve ter ficado nada satisfeito com este tirada . É feio.

Bom é difícil descortinar, só o Catroga o saberá, e creiam-me já nem quero saber o que seria para ele o canal da comida estragada, mas o meu palpite seria … o programa politico do PS.

Estas pérolas do Catroga vêem a propósito da entrevista que deu a um canal nacional, com o pivot, cuja formação é economia, a perguntara se não seria chegada a hora de Catroga, o actual ministro das finanças e alguns economistas se juntarem todos á mesma mesa.

Catroga puxou dos galões, mais rápido que lucky luke ( o tal que dispara mais rápido que a sua própria sombra) e dispara um desconcertante – “esses economistas não têm delegação politica e eu tenho”. Preocupante.

Mais á frente o discurso de Catroga é este (sic) : “o PS não tem programa, anda-se a agarrar como é que é, e tal, eh pá e os jornalistas em vez de discutir as grandes questões que podem mudar Portugal, andam a discutir PENTELHOS, ok”.

Para além de facilmente se notar ser um discurso incoerente, impróprio para quem tem as responsabilidades que tem, tem duas imprecisões esmagadoras.

Primeiro afirma que o PS não tem programa, naquilo que no mínimo classificarei como “lapsus linguae” (já começa a ser pornográfica a coisa). Compreende-se, afinal o homem estava sobre enorme pressão segundo afiançou Pedro Passos (imaginem lá se tivesse de aguentar com tudo o que Sócrates já  teve de aguentar até hoje).

O outro erro, que até seria hilariante se não fosse grave, é quando Catroga diz que deviam os jornalistas discutir as grandes questões ao invés de PENTELHOS.

Então os jornalistas deviam substituir os políticos? Claro que se trata de outro lapso, por menos que isso já dizia o outro “porra organizem-se que já se enganaram duas vezes”.

E depois em matéria de coisas intimas cada um gosta do que gosta, nem todos têm de afinar pelo diapasão do Catroga, por muito bom gosto que tenha, se o tem. Há quem rape as partes furibundas.

Agora a parte mais séria. Qualquer político que tivesse atravessado o calvário de Sócrates, á oposição bastar-lhe-ia fazer um passeio na avenida e ganhava a coisa.

Porém Sócrates irá contar com a sua enorme capacidade de vencer obstáculos, como irá contar com os deméritos dos seus adversários, em particular os do PSD.

O Bloco e o PCP ainda vão dizer que estão feitos um com o outro. Chiça !

 

Oliveira Dias, Politólogo

Comments are closed.