breaking news

Ilda Vieira, 100 Anos e a Sua Maravilhosa Casa, o Instituto de Odivelas [vídeo]

Ilda Vieira, 100 Anos e a Sua Maravilhosa Casa, o Instituto de Odivelas [vídeo]

Agosto 5th, 2011
Cultura

Em Julho de 2011, a Odivelas TV esteve no Instituto de Odivelas para gravar com a Sra. D. Ilda Vieira um testemunho dos seus 100 Anos de vida. Tendo ingressado no Instituto aos 7 anos de idade, a sua vida e testemunho pessoal é um contributo indispensável para a compreensão da história do Instituto de Odivelas.

Da antiga aluna e mais tarde funcionária, ao longo deste filme em anexo e com a imprescindível colaboração da D. Cesaltina do Nascimento Silva, foi possível recolher informações diversas desde a abertura do túmulo de Dom Dinis por duas vezes e as respetivas razões, até ao recordar do processo de fabrico da Marmelada de Odivelas e, vários acontecimentos, que ao longo dos tempos marcaram a vida de Ilda Vieira e do próprio Instituto de Odivelas.

Fica em anexo o registo do filme que efetuámos no Instituto de Odivelas e o agradecimento ao seu Diretor Sr. Coronel José Serra e à Associação das Antigas Alunas do Instituto de Odivelas, sem a colaboração dos quais, não teria sido possível esta reportagem.

António Tavares | OdivelasTV

[Este texto foi escrito ao abrigo do novo acordo ortográfico]

Instituto Odivelas. Os 100 Anos de Ilda Vieira from TVL on Vimeo.

One Comment

  1. MaximaVaz says:

    Parabéns à Senhora D. Ilda pelos seus 100anos! Pela sua excelente memória, pelo se raciocínio excelente ainda! É admirável, conservar as aptidões que conserva, com 100 anos. Parabéns à OdivelasTV pela reportagem; por nos dar oportunidade de a ouvirmos falar “desta maravilhosa casa”. É assim que todos nós a devemos considerar, “maravilhosa casa”, porque um edifício com 701 anos, no estado de conservação em que está, só podemos considerar uma maravilha. É uma obrigação protegê-la, defendê-la de agressões que a possam prejudicar. Se pudermos melhorá-la, melhor será. Prejudicá-la, nem devíamos admitir, quanto mais fazê-lo. Devemos consciencializar-nos desse dever e nunca cometer o crime de o desvalorizar ou desrespeitar e cometer erros que depois não têm remédio sem grandes prejuízos. Todos esses erros a história regista e as gerações futuras saberão. Ninguém tem poder para apagar a história, porque ninguém é eterno. Nem o rei conseguiu ficar no centro da igreja para sempre, como ele quis e deixou no seu testamento….

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *