breaking news

Odivelas, Lisboa – Marcos Perestrello na Conferência sobre os Transportes Públicos na Área Metropolitana de Lisboa [vídeo]

Novembro 20th, 2011 | by Antonio Tavares

Odivelas, Lisboa,  A FAUL – Federação da Área Urbana de Lisboa do Partido Socialista e as Secções de Ação Sectorial dos Transportes, em conjunto com o Secretariado Nacional do Partido Socialista, organizaram no Sábado, dia 19 de Novembro/2011, na sede Nacional do Partido Socialista – Largo do Rato, uma Conferência sobre os Transportes Públicos na Área Metropolitana de Lisboa.

Na intervenção de Marcos Perestrello no vídeo em anexo (1):

Não se pode dissociar o sistema de transportes públicos da política de mobilidade de cada um dos concelhos e da área metropolitana no seu todo.

É diferente falar de transportes públicos e falar de empresas públicas de transportes públicos.

As empresas públicas de transportes encontram-se numa situação complexa que decorre em primeira linha do impacto que a elevada dívida provoca nos seus exercícios anuais, os encargos com juros e amortização da dívida.

O sistema de transportes públicos garante uma cobertura minimamente eficiente apenas na capital e nos percursos com origem ou destino nesta.

As autarquias têm de ter um papel essencial na definição da rede de transportes e dos termos da concessão podendo em alguns casos participar na gestão e no capital das empresas.

Com a participação dos concelhos da Amadora, Azambuja, Cascais, Lisboa, Loures, Odivelas, Oeiras, Sintra e V.F.Xira é possível equilibrar as operações das empresas públicas de transportes e libertar recursos para melhorar a eficiência do sistema.

O sector público empresarial dos transportes tem uma dívida total superior a 16.000 Milhões de euros e é há muitos anos gerido exclusivamente pela administração central.

É essencial separar a infraestrutura e a operação. A primeira concentrada na REFER e a dívida terá que permanecer na administração central.

Proposta de afetar ao financiamento do sistema de transportes públicos 20 euros por m3 de combustível rodoviário vendido em Portugal ou seja 2 cêntimos por litro originando uma receita anual de 155 milhões de euros.

(1)    [intervenção integral de Marcos Perestrello]

Iremos publicando outras intervenções que surgirão mais abaixo em “Artigos Relacionados”.

António Tavares

Comments are closed.