breaking news

Odivelas, Lisboa – António Costa na Conferência sobre os Transportes Públicos na Área Metropolitana de Lisboa [vídeo]

Novembro 20th, 2011 | by Antonio Tavares

Odivelas, Lisboa,  A FAUL – Federação da Área Urbana de Lisboa do Partido Socialista e as Secções de Ação Sectorial dos Transportes, em conjunto com o Secretariado Nacional do Partido Socialista, organizaram no Sábado, dia 19 de Novembro/2011, na sede Nacional do Partido Socialista – Largo do Rato, uma Conferência sobre os Transportes Públicos na Área Metropolitana de Lisboa.

Na intervenção de António Costa no vídeo em anexo (1):

Prioridade ao transporte público. Novo relacionamento entre as autarquias da área metropolitana e o sistema de transportes. Maior eficiência no sistema de transportes.

 Erros do governo, questões de gestão e questões sistémicas. Complementaridade Carris – Metro. Eliminação de carreiras da Carris para abrir espaço a novas carreiras servidas pelos concessionários privados dos concelhos limítrofes. A simplificação tarifária, a nova bilhética.

Os custos do transporte individual financiados pelos nossos impostos. O custo ambiental – metade do nosso défice externo é um défice energético.

Investir nas infraestruturas que melhoram o sistema de transporte público. Os custos de estacionamento. Reduzir a metade o tráfego que circula na avenida da liberdade.

A gestão da noite no Bairro Alto – restrições na circulação.

Contribuição financeira das autarquias locais para a gestão do sistema de transportes. – O IMI, a partilha da receita futura.

Os canais de acesso a Lisboa já estão portajados. Uma taxa sobre o litro de combustível vendido na área metropolitana de Lisboa para financiar o transporte público. Integração das receitas do estacionamento no conjunto das receitas do sistema de transportes da área metropolitana. Disponibilidade do estacionamento que existe nos parques dissuasores é enorme e pode ser aumentada dos 5000 lugares atuais para uma 2ª fase de 11000 e numa 3ª fase de 15000 a 20000 lugares.

Muitos autarcas reivindicam mais uma estrada ou menos portagens mas poucos se batem por mais transportes públicos.

Já que temos de viver a crise, já que a temos de sofrer, ao menos que sejamos capazes de aproveitar a oportunidade que ela nos oferece de mudar estruturalmente um sistema que precisa de ser estruturalmente mudado.

(1)    [intervenção integral de António Costa]

Iremos publicando outras intervenções que surgirão mais abaixo em “Artigos Relacionados”.

António Tavares

Comments are closed.