breaking news

Odivelas, As razões para a Greve Geral – Fátima Amaral [vídeo]

Novembro 23rd, 2011 | by Antonio Tavares

Odivelas, Reunião da Assembleia Municipal de 21 de Novembro.

Fátima Amaral do PCP faz uma declaração política analisando a situação do País e do Concelho de Odivelas e adiantando razões para a greve geral de dia 24 de Novembro.

Perante o que considera uma declaração de guerra, Fátima Amaral declara a inevitabilidade da luta e passando em revista a situação económica e social, da qual os trabalhadores não são os culpados, salienta o 3º lugar que o trabalho precário em Portugal representa na Europa, as desigualdades, a destruição do aparelho produtivo, as negociatas das Parcerias público-privadas, a especulação financeira, a derrapagem continuada das Obras Públicas, o compadrio e a corrupção, a fraude e a evasão fiscal e a economia paralela.

Sobre Odivelas, Fátima Amaral salienta o aumento do desemprego de 8,7% longe dos concelhos limítrofes em que apenas a Amadora se aproxima com 5,9% e os níveis salariais cujo salário médio é 63% do que se regista em Lisboa avançando ainda outros dados.

Relativamente à Saúde no concelho de Odivelas, Fátima Amaral alerta para os 60.000 doentes sem médico de família, os 22 enfermeiros dispensados recentemente e o CATUS, cujo encerramento está para breve.

As Parcerias Público Privadas em Odivelas foram também tema da intervenção de Fátima Amaral que referiu ainda que o Pavilhão Multiusos e a Escola dos Aprestimos tiveram um custo orçamentado, quando construídos pelos serviços municipais, de 10 Milhões vieram a ser executados através da PPP por um valor superior a 18 Milhões cujo pagamento a 24 anos com rendas mensais vai representar um custo para o Município superior a 57 Milhões, finalizando que é com gestões destas que Portugal chega onde chegou.

Fátima Amaral terminou a sua intervenção dizendo:

“Por nós, por Portugal, vamos fazer Greve Geral”.

António Tavares

Comments are closed.