breaking news

Pais, alunos e funcionários fora dos conselhos pedagógicos das escolas – A FERLAP, é completamente contra esta medida.

Março 10th, 2012 | by Odv

Comunicado à Imprensa

A propósito da Proposta de Alteração ao Regime de Autonomia, Administração e Gestão dos Estabelecimentos Públicos da Educação Pré -escolar e dos Ensinos Básico e Secundário Infelizmente e mais uma vez, apenas hoje tivemos conhecimento através da Comunicação Social que o MEC se prepara para retirar do Conselho Pedagógico a participação dos Pais, Alunos e Assistentes, passando o mesmo a ser constituído apenas por Professores. Assim, a ser verdade a notícia, e da mesma forma que tivemos conhecimento, apraz-nos deixar algumas ideias e colocar algumas questões:

1. A FERLAP, embora não conheça ainda os pormenores, é completamente contra esta medida,

2. Estranhamos, ou talvez não, a posição de apoio dos Sindicatos dos Professores a esta medida,

3. Por muito que nos custe, os Professores não são donos da verdade absoluta,

4. A Escola não é pertença dos Professores,

5. Pelo que já vimos, os Professores por si só, não têm a capacidade de melhorar a Escola, de outra forma, a Escola não seria o que hoje é,

6. Os restantes utentes da Escola, têm o Direito de participar na definição dos meios para atingir o objectivo pretendido, uma Escola de Qualidade,

7. Tendo em consideração o proposto para o Artº. 33 n), “n) Propor mecanismos de avaliação dos desempenhos organizacionais e dos docentes, bem como da aprendizagem dos alunos, credíveis e orientados para a melhoria da qualidade do serviço de educação prestado e dos resultados das aprendizagens;”, entendemos que os avaliados, Professores, não devem ser os únicos a propor os mecanismos de avaliação de desempenho, de outra forma, será uma auto-avaliação que dará sempre o resultado pretendido pelos avaliados,

8. A diferença de opiniões contribui para a melhoria do sistema,

9. Porquê esta medida?

10. Os Pais, Alunos e Assistentes, impedem a tomada das medidas decididas pelos Professores? Olhando para a constituição dos Conselhos Pedagógicos, constatamos que não,

11. Será que os assuntos, que não os confidenciais, a que hoje apenas os Professores têm acesso, discutidos em Conselho Pedagógico não devem ser do conhecimento da Comunidade Escolar?

12. Será que os Pais, Alunos e Assistentes, não tê competência para opinar em matérias que lhes dizem directamente respeito?

13. Pelo que nos é dado a entender, a participação activa dos utentes da Escola, que não os Professores, faz cada vez menos parte desta “democraciazinha” em que vivemos,

14. A participação activa dos Pais na Escola é um “chavão” utilizado pelos Governos e pelas Direcções das Escolas consoante as suas necessidades do momento, sempre que não exista necessidade, os Pais passam a ser um estorvo e como tal, completamente dispensáveis,

15. Por um lado pretende-se a responsabilização dos Pais, o que para nós faz sentido, mas não a responsabilização dos Professores, Direcções e Governo, o que deixa de fazer sentido, por outro afastam-se os Pais dos centros de tomada de decisão. O que se pretende com isto? Muito provavelmente, tornar os Pais e os Alunos, os únicos responsáveis pela situação que se vive nas Escolas, quando todos sabemos que a verdade não é esta, mas outra totalmente diferente em que os sucessivos Governos, com as suas Politicas sem sentido, têm a maioria da culpa, seguidos de perto pelas Direcções que não apoiam os seus Professores e por alguns professores, que não sabem verdadeiramente o que é ser Professor, claro que os Pais também têm culpa, pois não se podem demitir da sua função de Pais e algumas vezes fazem-no, outras, como no caso presente, querem obriga-los a demitir-se dessa função,

16. A Escola exige a participação de todos para que seja realmente o que se pretende, uma Escola de Qualidade que forme as Mulheres e os Homens de amanhã,

17. A não participação dos Pais, Alunos e Assistentes nos centros de decisão é uma limitação à Democratização da Escola,

18. Em nosso entender, esta proposta, em nada contribui para a melhoria e a resolução dos problemas da Escola, bem antes pelo contrário. Tendo em atenção o acima, esperamos que esta ideia, não passe apenas de uma ideia que não será tida em consideração. De outra forma, começamos a pensar que este MEC pretende a todo o custo, o afastamento dos Pais da Escola. Isso a FERLAP, não vai aceitar.

Veja comunicado em formato pdf»

Comments are closed.