breaking news

Ano Novo ! Vida Nova ?

Dezembro 27th, 2012 | by Odv

 

2012 está a acabar.

2013 virá a seguir.

Cumpre-se a convenção “ocidental” e cumprem-se as esperanças da grande maioria dos “ocidentais” que teimam em rejeitar com sobranceria muita da cultura politeísta “oriental”, mas trata de acreditar na mudança de condições de vida pelo simples facto de mudar de ano, como se algo de físico existisse nessa mudança.

A chamada “noite da passagem de ano” funciona com uma deusa à qual se sacrifica o sono e descanso, oferecendo-lhe danças, diatribes variadas e violentas, bebida (muita bebida) e dinheiro (muito dinheiro) com a esperança de que esta “deusa”, anualmente renovada, se compadeça destes humanos crentes e lhes traga o totoloto ou o euromilhões como paga do sacrífico de uma noitada.

Tem parecenças, muitas, com as promessas que se fazem aos santos e santas (convém assim para o BE não me acusar de discriminatório) e que depois levam ao pagamento respetivo frequentemente com manifestações de acabado paganismo.

Este ano nem os políticos conseguem já disfarçar que 2013 não será um “bom ano novo”.

A mentira maior que vão conseguindo é a afirmação de que se aproximam tempos melhores, que o caminho está certo, tanto que até os juros baixam… que mais se pode desejar ?

Internamente vivemos o dia a dia com a convicção de que o trabalho que fazemos serve para clarificar muita coisa que, sem nós, ficaria no segredo dos políticos que tendo sido eleitos para gerir a património público (isto é, nosso !) comportam-se como donos desse mesmo património, sem perceberem que estão a prazo e que, em muitos casos (mesmo muitos) estão a prazo curto que deveria ter sido nenhum, se tivesse havido honra nas promessas e compromissos eleitorais.

Pelos Concelhos por onde andamos temos Odivelas parecido com a Madeira, cada pedra que se levanta é um coelho (maldito bicho) que salta.

Agora foi o milhão de euros de juros de mora (JUROS DE MORA !!!) a pagar à Simtejo.

Em 12 meses fazem-se 16 ou 17 acertos orçamentais. Mais de um por mês. Na minha empresa um financeiro assim seria despedido ao 3º desacerto.

Em Loures as contas com a Simtejo são igualmente um buraco monstruoso, a juntar ao buraco monstruoso dos SMAS.

Como contas também tem que se lhe diga, e como estamos a chegar ao fim do ano, estas contas saltam todas para a ribalta.

Em Lisboa aparentemente as contas estão um pouco mais pacíficas. Pelo menos a informação que temos aponta para algum equilíbrio dentro do desequilíbrio imenso que vinha do antecedente. Digamos que houve movimentos bem conseguidos, entre terrenos do aeroporto e do Parque das Nações e as contrapartidas negociadas.

António Costa não deitou fora as oportunidades que lhe surgiram de mostrar a sua capacidade de candidato a candidato a 1º Ministro. Tem que despachar o processo porque pode ser apanhado a meio caminho se quer mesmo ser Secretário Geral do PS e 1º Ministro de Portugal.

Não sei se será bom, mas com as ameaças que temos, corremos o risco de ter eleições antecipadas e ter de escolher entre os senhores Dupond e Dupond !

E assim vai o País, com um Governo em que ninguém acredita, com um Presidente da República que consegue bater todos os records de indiferença pública, cavaleiro da triste figura que nem os moinhos de vento tem coragem para enfrentar, com uma Assembleia da República autodemitida das funções mais nobres que era suposto exercer, o controlo do Estado e elaboração das leis.

A primeira entregue ao estrangeiro em completa concessão da independência Nacional e a segunda entregue a negociatas com gabinetes de advogados geridos ou integrantes de muitos dos próprios deputados eleitos, que juraram defender o serviço público.

No cimo do bolo a Justiça, montada numa Corporação à boa maneira velha, defendendo com unhas e dentes vantagens e mordomias únicas, incompreensíveis e imorais, se não ilegais.

O mundo aproxima-se a passos largos de uma decisão trágica que acabará numa guerra rápida, generalizada e mortífera, para a qual ninguém arrisca qualquer previsão sobre o dia seguinte.

Dia seguinte que poderá, pura e simplesmente, não existir !

Só 2 pormenores cuja importância quem quiser que defina:

1 – No Brasil entenderam retardar o Acordo Ortográfico por mais uns anos. Será que pediram parecer à Porto Editora ?

2 – A Primavera Norte Africana entrou rapidamente no Outono e ainda mais rapidamente passará ao Inverno. Atente-se no Egipto.

26/Dezembro/2012

J.Paiva Setúbal

Comments are closed.