breaking news

Odivelas – Freguesias em “manif” cultural contra extinção

Janeiro 3rd, 2013 | by Miguel Durão

manif_culturalNuma organização conjunta entre a Câmara Municipal e as sete freguesias que compõem o concelho de Odivelas (Caneças, Famões, Odivelas, Olival Basto, Pontinha, Póvoa de Santo Adrião e Ramada), realiza-se no sábado, 5 de Janeiro, a partir das 14h30, na Rotunda do Olival Basto, no Senhor Roubado, uma “Manifestação Cultural” contra a decisão do Governo de extinguir algumas freguesias do concelho de Odivelas, nomeadamente Famões, Olival Basto e Ramada).

Esta iniciativa conta com actuações de Grupos de Cantares, Grupos Corais, Ranchos Folclóricos, Grupos de Bombos, Ginástica e Dança e marchas populares.

Miguel Durão

One Comment

  1. Paulo Bernardo e Sousa says:

    Agora?
    Chorar sobre leite que ajudaram a derramar pela inércia?
    No mínimo é perverso.
    Nunca tentaram nada de relevante e práctico neste dossier, a não ser queixarem-se.
    Recordo que no quadro da lei, a freguesia de Ramada poderia ter-se mantido e ninguém fez nada para que tal acontecesse – honra seja feita ao eleito na Assembleia de Freguesia de Ramada, Dr. João Pedro Silva, que procurou que aquele órgão aprovasse uma Moção que permitiria o inicio do processo de defesa daquela freguesia, contudo os eleitos pelo PCP e pelo PS declinaram e rejeitaram essa proposta -.
    Por outro lado ficaremos com uma freguesia de dimensão populacional bem acima do disposto na lei, a freguesia de Odivelas e ninguém “abriu a pestana”, para após estudo consolidado e consensualizado justificar a divisão desta em pelo menos duas freguesias: tal, era também possível.
    Está visto que é melhor berrar do que trabalhar!
    Recordo ainda a acção dos dois Vereadores Independentes da Câmara Municipal de Odivelas, Hernâni Carvalho e Paulo Aido, que ainda antes da publicação do chamado “Documento Verde” apresentaram recomendações e até moções (uma delas aprovada) no sentido de o Município de Odivelas encabeçar o processo de redelimitação das freguesias e reorganização do território do concelho. Todavia, foi inconsequente, porque por calculismos políticos (na minha óptica muito mal equacionados) os partidos políticos com assento nos órgãos locais nada fizeram.
    A verdade é que existem graves assimetrias, quer quanto aos índices populacionais, quer quanto a outros indicadores que demonstram a qualidade de vida e de serviço prestado às populações.
    Ninguém quis saber, mas agora berram e choram!
    Tirando as excepções que referi, todos os outros comportaram-se como autênticas cigarras…