breaking news

ODIVELAS – Pais e antigas alunas em vigília pelo eventual encerramento do Instituto de Odivelas

Março 19th, 2013 | by Miguel Durão

instituto_odivelasA Associação de Pais e Encarregados de Educação do Instituto de Odivelas e a Associação de Antigas Alunas daquele instituto promovem, quarta-feira, 20 de Março,  uma vigília, pelas 20h00, no Instituto de Odivelas, contra aquilo que consideram ser o “desnorte” do Ministro da Defesa quanto ao futuro dos Estabelecimentos Militares de Ensino (EMEs) e a intenção de encerrar o estabelecimento de Odivelas.
Em missiva dirigida ao ministro Aguiar Branco na passada semana, os pais e encarregados de educação manifestaram a sua disponibilidade para participar no desenvolvimento de uma solução para um modelo de gestão rentável e sustentável para o Instituto de Odivelas, dado que entendem que o futuro desta instituição de ensino e do conjunto alargado de educandos e suas respectivas famílias está ainda em fase de reflexão e decisão, reforçando que existe um entendimento alargado no seio das várias Associações ligadas aos EMEs quanto às soluções que podem vir a ser adoptadas e que no caso do Instituto de Odivelas, é considerado património nacional, por se tratar de uma obra gótica rara na área metropolitana de Lisboa, onde se encontra o túmulo do Rei D. Dinis.

Em comunicado, a
Associação de Pais e Encarregados de Educação do Instituto de Odivelas e a Associação de Antigas Alunas “prometem tudo fazer para sensibilizar o Ministro da Defesa e o Governo para a necessidade de manter a identidade e individualidade das EMEs, sendo que, face ao contexto económico, é forçoso fazer evoluir o modelo de gestão destas instituições de forma a adaptá-lo às exigências económicas e financeiras com que o País se vê confrontado”.

O Instituto de Odivelas é escola há 113 anos. Foi fundado em 1900 pelo Infante D. Afonso de Bragança e é hoje um estabelecimento de ensino – ainda que dependente do Estado-Maior do Exército – aberto à comunidade civil em regime de externato e internato e está entre os três melhores estabelecimentos de ensino em Portugal. É reconhecido como um importante instrumento de política externa, uma vez que forma alunas oriundas de países de língua oficial portuguesa, futuros quadros superiores e decisores desses países, seguramente determinantes nas relações sociais, económicas, culturais e, porventura, também políticas entre os Estados que falam a mesma língua.

Miguel Durão

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *