breaking news

He’S back …Oliveira Dias

Março 26th, 2013 | by Oliveira Dias

topo_oliveiradias

 

socratesEis senão quando, aquele que é conhecido como “animal politico” regressa à cena pública portuguesa, após 2 anos de “vacatio politicus”, que alguns apelidam, impropriamente, de “período de nojo” .

Sócrates,   goste-se, ou não, não deixa definitivamente ninguém indiferente, mesmo se os   putativos “compagnons de route” (leia-se demais opinadores televisivos),   se esforçam por mostrar um certo

á vontade não exactamente verdadeiro, pois bem contrário ao que lhes vai na alma.

Sócrates desperta várias sensações pelo que representou e ainda representa, em Portugal, e porque  não dizê-lo, no mundo, com coisas boas, outras não tão boas, mas com um resultado final, a  ser equacionado, em toda  a sua dimensão pela história, quando ela se fizer daqui a uns 50 anos (período para ser considerado suficientemente afastado para o crivo da história contemporânea).

Focalizar-me-ei na circunstância sobre a qual se pressupõe o regresso de Sócrates, isto é, ao anunciado espaço como comentador televisivo, no caso na RTP, a estação estatal de televisão.

Como sabemos, e é amplamente divulgado, relativamente a “TV opinion makers”, o monopólio, durante bastante tempo, foi privilégio do Professor Marcello Rebelo de Sousa, o qual frustado com uma insipiente carreira como político, foi para a televisão dar notas aos políticos, como se os mesmos fossem alunos da faculdade onde dava aulas. Era então uma forma de menorizar os políticos que se lhe superiorizaram, transformando-os em meros discentes de feiticeiros.

O certo é que o fenómeno pegou e assistiu-se ao longo dos anos as várias televisões darem espaço e vóz a políticos que não encontrando espaço “vital” intramuros, nos respectivos partidos, espraiavam nos nossos écrans as duas dissertações.

Nos tempos hodiernos aceita-se com facilidade que os “suprasumos”, nesta matéria, são por esta ordem, o Professor Marcelo, e o Dr. Marques Mendes. Ambos ex-lideres do PSD, sem grandes alegrias nesse domínio especifico.

A sobranceria fez com que o Professor Marcelo, comentando o regresso de Sócrates, e mal disfarçando o incómodo da situação, dissesse ser apenas “mais um” no espectro de comentadores políticos na televisão. No mais permitiu-se discorrer sobre o que ía na cabeça de Sócrtaes. Assim ficamos a conhecer um outro Marcelo – o Mentalista.

Marques Mendes, mais terra à terra, vaticinou a desgraça de António José Seguro, percebendo-se igualmente o grande incómodo que este regresso lhe suscita também, desprezando a prestação de Sócrates quase apodando-o de ressabiado.

Depois temos outros considerandos de gente menos importante no ranking dos opinadores, mas todos com um denominador comum – receiam Sócrates.

Excepção para Miguel Sousa Tavares, que não sendo um comentador politico, oriundo dos partidos, e por isso não incluso neste universo aqui referido, com a sua habitual frontalidade e clareza de espirito, e convicções, afirmar que era o que faltava negar a Sócrates o direito que se clama para outros, isto é, de ter vóz cidadã, ainda para mais sem custos para o erário público.

Uma coisa é certa, a RTP com esta colaboração de Sócrates irá marcar muitos pontos e a conquista de “shares” vai ser uma batalha galáctica. A TVi por esta altura estará aroer as unhas, pois o seu confortável “share” de Marcelo vai assemelhar-se à nau capitanea de Cristovão Colon que … afundou no atlântico.

Marques Mendes terá de se contentar com as sobras do embate de “shares” entre Sócrates e Marcelo.

Tudo isto vem relembrar um muito interessante ditado politico que reza mais ou menos isto “Em politica nunca se está morto em definitivo …”.

O meu desejo é que a participação de Sócrates na RTP não seja às quintas feiras, dia de emissão do Perspectivas na melhor Web TV da Região de Lisboa e arredores que é como quem diz a TVL.

Oliveira Dias, Politólogo

Comments are closed.