breaking news

Odivelas – Um Município em Coma Financeiro. Uma Jangada de 27 Km2 sem Rumo.

Abril 28th, 2013 | by Antonio Tavares

PAido_24Abril2013Sob a sombra da “obra do regime socialista” como lhe chama o Vereador Paulo Aido, ao pavilhão Multiusos, as más notícias sucedem-se no que diz respeito à gestão do Município de Odivelas.

A consciência de quem dirige os destinos deste Município não deve estar tranquila, não pode estar. Os grandes temas como a “Prestação de Contas relativa ao exercício de 2012” são levados a reuniões de Câmara à porta fechada… O inseguro José que tanto prega a transparência dos Governos, ficaria engasgado com a incoerência da prática PS (vamos evitar o termo socialista que é despropositado) nestes 27 Km2.

Sendo certo que alguns que no passado condenavam um Concelho empenhado no seu futuro, fruto quiçá de uma juventude de ideais, hoje se perfilam na fila para as “Marmitas do Poder”, porventura movidos por novas alianças num complicado jogo de intriga em que Valle tudo, chegamos facilmente à questão maior de que não há alternativa no PS à liderança de Susana Amador. São nos momentos mais difíceis que se revelam os “artistas” e nestes últimos tempos de contração de “Freguesias” as revelações têm sido muitas e Ourém tão longe…

Voltando à Finança e as más noticias, na sua intervenção da reunião de Câmara pública do passado dia 24, o Vereador Paulo Aido teve oportunidade de chamar a atenção para a injeção de quase Meio Milhão de euros na PPP “Odivelas Viva” (responsável pelo Multiusos e pela Escola dos Apréstimos) num ano em que se pagou mais de 150.000 euros de juros de mora. Relativamente a 2012 salientou ainda Paulo Aido que a taxa de execução orçamental foi de 67,4% e, pior ainda, transitaram de 2012 para 2013 compromissos no valor total de 16,2 Milhões de euros (Documento em Anexo). Com este desempenho, só nos falta cair o teto do Multiusos em cima.

Com uma engenharia financeira que colocou a Municipália E.M. a receber receitas do Multiusos sem arcar com o valor do Investimento (mais de 100.000 mensais) na tentativa de escapar à dissolução das Empresas Municipais decretada pelo Governo, melhor seria terem tido algum cuidado com as garantias bancárias do parceiro, que não foram nenhumas, e que neste momento se traduz por uma dívida do Sporting CP de 55.000 euros e com o estádio Arnaldo Dias demolido. Como diria alguém, este programa foi mal desenhado…

O Vereador Independente, Paulo Aido, teve ainda oportunidade de criticar o executivo de Susana Amador relativamente às Lacunas no Inventário confirmadas pelo Revisor Oficial de Contas e ao “Caso do Casal da Serena”, um imóvel hipotecado para sempre em favor do Município da Amadora, transformado numa bacia de águas pluviais para que se pudesse construir o “Dolce Vita Tejo” (Documento em Anexo).

Outro caso a manchar esta gestão, fruto de uma política despesista e sem uma estratégia de futuro previamente delineada, nas palavras de Paulo Aido, é o “Caso da Aquisição do Palacete da Quinta do Espanhol”, por quase 1 Milhão de euros, que agora se encontra abandonado num estado de degradação e sem futuro… “Este edifício é uma vergonha dos Autarcas de Odivelas”, disse o Vereador Paulo Aido.

Muitos dos eleitores preocupados com as necessidades da sobrevivência do dia-a-dia e distraídos da realidade, pelo conforto inconsequente das “casas dos segredos”, vão chegar a Outubro e votar inconscientemente, sem sequer conhecerem o programa eleitoral ou o conjunto de malfeitorias e erros de gestão cometidos nestes quatro anos. À Senhora Presidente Susana Amador ainda só a vi pedir desculpa uma vez numa Assembleia Municipal neste mandato e, por um documento não ter baixado à respetiva comissão da AMO. É pouco, muito pouco, para tão grandes “cometimentos”.

António Tavares

Nota Infomativa do Vereador Paulo Aido em formato PDF

Comments are closed.