breaking news

Odivelas – Editorial

Maio 10th, 2013 | by Odv

Odivelas

Na fase de arranque de mais uma campanha eleitoral autárquica cabe dar uma vista de olhos pelo Concelho que existe há 14 anos, mas que dá que falar mais do que muitos outros mais antigos.

A coligação que governa  Odivelas  mantem-se,  incompreensivelmente.

O PSD vai concorrer sozinho (contrariando a expectativa do CDS que manteve até tarde a esperança de uma coligação), mas irá fazê-lo suportando o ónus da gestão da autarquia, que terá de combater (já começou a combater), mas na qual foi parceiro por conveniência indelével.

Bem poderá protestar que não foi o partido principal. Mas não poderá afirmar honestamente que não é tão responsável como o PS nos grandes “embrulhos” do Concelho.

Odivelas Futebol Clube, OTEC, Odinvest, Multiusos, Sporting, Municipália, Ajustes Diretos, … em todos os actos de gestão o PSD é responsável. Tanto quanto o PS.

Talvez não seja o da ideia, mas foi pago (e recebeu) para assinar por baixo, e assinou !

Susana Amador vai a eleições para o seu terceiro mandato à frente da autarquia.

Entre a Odivelas de hoje e a de há 10 anos, vai um mundo de diferenças, na cidade principalmente, mas no Concelho também.

Só falta a certeza sobre se estará melhor agora.

Uma volta por Odivelas, cidade, dá para ver um Jardim da Música, uma ribeira requalificada, mais um espaço verde significativo na Ribeirada, áreas populacionais novas e razoavelmente organizadas (excepção ao trânsito completamente à solta).

Odivelas está longe, muito longe, do aglomerado de casinhas de brinquedo, velhas e a cair de há 40 anos. E nos últimos 14 deu um salto qualitativo inegável.

Vê-se obra, betão, muito betão e algum espaço verde.

Vê-se um Pavilhão que é um luxo mas deixou de se ver o Odivelas Futebol Clube.

Vê-se um Centro de Exposições que é um luxo, mas está vazio de pessoas e vê-se o Ginásio (GCO) em risco de desaparecimento.

Viram-se protocolos e mais protocolos (protocolos diários), anúncios de Estações do Metro e Metrobus, mas os odivelenses das freguesias periféricas tem de deslocar-se a pé ou em viatura própria.

Anunciaram-se projetos grandiosos de desenvolvimento económico, mas um passeio a pé pela capital do Concelho não esconde a mortandade geral do comércio e da vida económica da cidade.

Nem OTEC, nem Odivelas às Compras, nem “mobilidade”, nem recuperação do Centro Histórico (para onde, de resto, está prevista e aceite pela gestão PS/PSD uma solução de absoluto desprezo pela História).

E na área financeira Odivelas está com um buraco de muitas centenas de milhões de euros para as próximos décadas.

A Municipália continua um sorvedouro de dinheiros autárquicos. Com uma ação cultural louvável, mantém uma gestão financeira deplorável, em grande parte pela gestão dos projetos que desenvolve, olhando embevecida para o próprio umbigo.

A Educação e a acção social são os aspectos positivos mais relevantes.

Há problemas nas escolas, mas há escolas.

Há problemas sociais, mas há acções de apoio. Algumas de iniciativa privada, mas sempre com o apoio declarado da gestão camarária.

Pelo caminho ficaram muitas acções louváveis de auxílio, especialmente à 3ª idade, muitas vezes usada para a montra das realizações.

Mas há trabalho feito. E aí tudo o que for feito é bom.

Este final de mandato marca definitivamente Susana Amador como a coveira dos SMAS de Loures.

Para o bem e para o mal, Odivelas  rompeu com o último elo de ligação à “mãe” Loures. Fornecimento de água, recolha de lixo, gestão de efluentes passam para a responsabilidade de Odivelas.

Loures pôs-se a jeito, e Susana Amador está a aproveitar o populismo de uma decisão mais do que polémica. Se é uma decisão boa para Odivelas só o tempo e a sequência das decisões que se seguirão dará para entender.

Para loures é certamente uma decisão má. Essa já se sabe.

Isto, se as coisas acontecerem tal como estão agora anunciadas, porque a esperança de uma inversão não está completamente descartada. Dependerá dos resultados eleitorais em ambos os Concelhos.

Ainda vai correr muita tinta…

Entretanto há uma curiosidade nesta campanha. Para já só há candidatas, três mulheres irão lutar pelo poder. Já só falta o CDS anunciar o/a candidato/a. Bem interessante se também o CDS avançasse com um elemento feminino.

J.Paiva Setúbal

Maio/2013

Comments are closed.