breaking news

Odivelas – Sandra Pereira a Candidata pelo PSD à Presidência da Câmara Municipal de Odivelas. Apresentação da Candidatura no Olival Basto.

Maio 26th, 2013 | by Antonio Tavares

SandraPereira25Maio2013Na reportagem que efetuámos no Olival Basto, no sábado, 25/Maio, ficam várias notas que marcaram esta apresentação. Em primeiro lugar Sandra Pereira assume-se como uma candidata de corpo inteiro sem complexos ou condicionantes e, neste sentido, começou por desmontar as três maiores questões que poderá enfrentar durante esta campanha eleitoral: A Idade, A Inexperiência e o PSD. Para quem acompanhe o vídeo em anexo poderá comprovar que Sandra Pereira saiu com vantagem relativamente às três questões deixando os seus adversários sem argumentos e mesmo em relação aos Centros de Saúde foi contundente chamando para si e para o PSD a realização dos mesmos e, sobre isto, já havíamos escrito aqui antes que o PS tinha perdido na praia e iria pagar no futuro a sua ineficácia.

Nota para as presenças do PSD nacional nesta apresentação e da respetiva máquina de imagem e comunicação e, nota também, para a ausência de Vitor Machado, dando corpo aos rumores que apontavam para a rutura entre Vitor Machado e o PSD – Odivelas. Vitor Machado, deixou, há muito, de ter a confiança política do PSD – Odivelas e, Marco Pina, será o novo Candidato do PSD à Presidência da Junta de Freguesia de Odivelas

Notas do discurso de Sandra Pereira:

É possível fazer política sem mentir.

Sou de uma geração que sempre ouviu falar em crise.

O Multiusos tinha de ser o maior das redondezas. O pavilhão Multiusos sem uso.

Não há música no Jardim da Música – Gastámos o dinheiro todo nos candeeiros.

A quinta do Espanhol ao abandono.

Tem-se desenhado uma política pensando na melhor forma de sair de Odivelas e não na melhor forma de estar em Odivelas.

Até as Meninas de Odivelas foram para Lisboa.

Em Quatro anos fiz o que estava prometido há Vinte – Dois Centros de Saúde.

Edição: António Tavares

Discurso de Sandra Pereira em formato PDF

One Comment

  1. Luisa says:

    “Sou de uma geração que sempre ouviu falar em crise.”

    Que significa esta afirmação, Dra. Sandra? Que estamos bem assim, pois já estamos habituados?
    Uma afirmação infeliz…
    Mas também imagino que a crise não a atinja como a todos nós, pois me parece que nunca sentiu a crise, nunca trabalhou a sério para saber o que isso é… só ouviu falar…