breaking news

“Um Homem entre Mulheres” – Miguel Durão

Setembro 20th, 2013 | by Miguel Durão

topo_miguelDuraoSempre fiz questão de, na informação da TVL, ter o cuidado de ter uma informação pluralista, isenta, o mais precisa possível e que alcançasse todos os níveis da sociedade.
É com gosto e prazer que senti, junto da sociedade que navega pelas ondas da internet que a informação da TVL é “alternativa” ao que se vê, ouve e lê, na restante comunicação social, quer local, quer nacional.

Alternativa porquê? Para os seguidores fiéis da TVL é fácil perceber que durante os cerca de 10m diários de informação, fala-se de tudo… menos de política. É aí que reside a diferença, uma vez que a informação da TVL faz “eco” daquelas notícias que em quase mais nenhum lado se vê escrita, quanto mais falada. Basta dar uma espreitadela aos sites “odivelas.com”, “loures.com” e “tvl.pt” para perceber isso.

Isto vem a propósito de, nas próximas linhas, continuar a não falar de política, politicamente falando (até porque a Comissão Nacional de Eleições – CNE – proibiu que se fizesse campanha política via net… mas só para alguns).

Apenas gostava de fazer a ressalva de que as eleições autárquicas estão à porta e que em Odivelas temos quatro candidatos à “cadeira do poder”.

Penso que, se não for caso único no País, entre esses candidatos temos “infiltrado” um homem entre três mulheres. Além de ser o título de um filme conhecido é a realidade que temos na “terra de oportunidades” de D. Dinis.

Três senhoras estão na corrida pelo título de “Srª. Presidente”, mas têm a concorrência de um senhor que também quer ser o “Srº. Presidente”. Cada um tem feito campanha à sua maneira (ou na medida do possível), sendo que vai competir à população decidir quem serve melhor os interesses das freguesias e do concelho em si. Na falta de debates, proibidos pela CNE, o(a)s candidat(a)os da nossa terra têm tido um papel discreto na campanha, talvez por falta de “papel” (aqui sinto a falta de ver a distribuição de bonés, canetas, etc) que toda a gente gosta de ter em casa, quiçá, para mais tarde recordar….

Tenho curiosidade em saber no que vai dar o resultado das eleições autárquicas, as mudanças(?) ou a continuação de “mais do mesmo”.

A CNE proibiu de se fazer campanha e apelar ao voto de “a”, “b” ou “c” pelas redes sociais. Já houve quem infringisse e fosse punido. Há listas que têm no seu elenco pessoas que ocupam cargos noutras áreas, com acumulação de funções e estratégicamente colocadas para outros vôos.

Pela minha parte, uso a internet (espero não ser castigado pela CNE) para apelar ao voto em… quem melhor julguem ser competente para governar o concelho e a freguesia.

Votem em quem votarem, votem! Só assim se pode, depois, pedir contas a quem prometeu e não cumpriu. Votar é um dever cívico!

Miguel Durão

Comments are closed.