breaking news

E agora quem limpa a propaganda eleitoral?

Outubro 17th, 2013 | by Miguel Durão

topo_miguelDuraoA resposta à questão anterior é simples: a Mãe Natureza. Poluir é fácil, limpar nem tanto.

Como sempre acontece em época de eleições, somos brindados com panfletos nas caixas dos correios, “newsletters”, “info-mail” e os habituais cartazes colocados nos postes de iluminação pública, ou nas rotundas com as caras daqueles que desejavam ser eleitos para prosseguir as políticas(?) dos seus partidos. Mas a falta de ideias novas para uma política que seja diferente e que leve as pessoas a acreditar nos políticos, ficou bem patente na falta de criatividade dos cartazes da campanha para as autárquicas.

Descobrir as diferenças entre eles, foi mais fácil do que tentar resolver um dos enigmas do “Sudoku”.

Todos os cartazes das forças políticas desta “Terra de Oportunidades”, primaram pelo… “copianço”. A ideia que quiseram transmitir foi idêntica, os cartazes apenas eram diferentes por causa das siglas dos partidos, caso contrário, ninguém dava pela diferença.

A política anda mesmo pelas ruas da amargura e a culpa é de quem as faz e daqueles que querem continuar a ter o seu “job”, nem que para isso ultrapasse as mais elementares regras da ética, civismo e, por vezes, da educação.

Pelo concelho e quase um mês após as eleições autárquicas, a propaganda eleitoral ainda é bem visível, as caras daqueles que sofreram uma “goleada” eleitoral e dos que saíram vitoriosos (pelo menos durante os próximos quatro anos), ainda continuam espalhados um pouco por todo o lado. Até quando? Será que custa muito pedir a quem os pendurou e colou, o favor de os ir retirar e quem sabe, até guardá-los para uma próxima oportunidade? Ao menos não perdiam tempo e dinheiro a fazer cartazes e outros “monos” sem originalidade e criatividade e sempre poupavam uns “cobres”.

Antes que a Mãe Natureza faça o que os outros não fazem, era óptima ideia retirá-los enquanto ainda estão em bom estado de conservação, antes que causas naturais desfaçam e deteriorem a imagem dos políticos (mais do que já estão)….

Já me imagino a ver, em plena época natalícia, as caras deles espalhadas pelo concelho a prometer coisas que, em muitos casos, não passaram de promessas e promessas, leva-as o vento… e se calhar, com um pouco de sorte e azar à mistura, ainda vem aí uma ventania e é ver os cartazes espalhados pelo ar e pelo chão e… a acertar em alguém. Depois quero ver quem tem as culpas; se quem não retirou a propaganda, se a Mãe Natureza (e por isso ficam impunes) ou se quem estava à hora errada, no local errado.

Miguel Durão

Comments are closed.