breaking news

«ODIVELAS ÀS COMPRAS» UM REDONDO FALHANÇO. CÂMARA VAI DEIXAR CAIR O PROJECTO QUE GASTOU 26.770 EUROS DO IAPMEI. – José Maria Pignatelli

Abril 8th, 2014 | by José Maria Pignatelli
«ODIVELAS ÀS COMPRAS» UM REDONDO FALHANÇO. CÂMARA VAI DEIXAR CAIR O PROJECTO QUE GASTOU 26.770 EUROS DO IAPMEI. – José Maria Pignatelli
Destaques
0

topo_pignatelliPor vezes, há projetos que falham (…) Que não correm bem”, eis a expressão utilizada pela vereadora socialista Mónica Vilarinho para justificar a eventual queda do projecto “odivelascompras.com” um site que custou a módica quantia de 47.930 euros e que pressupunha um conjunto de ofertas ao comércio de proximidade de todo o concelho, incluindo a possibilidade de fazer compras online. A vereadora estreante, que detém o pelouro das atividades económicas na Câmara Municipal de Odivelas, escusou-se em dar mais quaisquer explicações, fugindo claramente a quaisquer comentários que pudessem ferir suscetibilidades ao seu antecessor Mário Máximo, presentemente a dirigir a empresa municipal e o obreiro da iniciativa.

Efetivamente o projeto falhou redondamente: À data, apenas se revela os estabelecimentos comerciais de apenas 10 artérias da cidade de Odivelas e nem todos, agrupados pelos sectores de actividade. Continua a não ser possível fazer uma compra online ou a poder consultar uma qualquer lista de produtos. Por exemplo, ainda hoje o banner que corre no site é anterior a Setembro de 2012. Vejamos o texto informativo que circula: «Ofertas de emprego: Ass. Empresarial Com. e Serviços Conc. Loures e Odivelas: Lançamento de oportunidades de emprego a 1 de Setembro de 2012»

Mas esta história tem outros contornos de maior gravidade que denotam irresponsabilidade de Susana Amador que também liderava o Executivo camarário no mandato anterior de 2009-2013: Para este projecto foram utilizados 26.770 euros do MODCOM, programa de incentivos à modernização do comércio do IPAMEI, a Agência para a Competitividade e Inovação. Esperava-se que o IAPMEI questionasse a Câmara de Odivelas sobre este dossier, tanto mais que se trata de zelar pelo interesse público, por estar em causa dinheiro dos contribuintes.

É inquestionável que a Câmara de Odivelas gastou mal dinheiro de todos os portugueses. Estamos perante um caso de manifesta incompetência, de propaganda política de ocasião e de um projecto que nem sequer se conhece o seu proprietário. Em qualquer País decente, este seria um caso de polícia. Mas entre nós, não é habitual responsabilizar políticos pela gestão danosa de dinheiros públicos como este caso encerra.

Refira-se que o objetivo do MODCOM é a modernização e a revitalização da atividade comercial, em especial, em centros de comércio com predomínio do comércio independente de proximidade, em zonas urbanas ou rurais, bem como a promoção de ações dirigidas à própria atividade do comércio.

Neste caso, o apoio financeiro concedido inscreveu-se no incentivo não reembolsável correspondente a 60% das despesas elegíveis, cujas regras atribuem um máximo de €60.000 por projeto.

 

NENHUM DOS OBJECTIVOS FOI ATINGIDO

Mas neste processo merece uma análise mais técnica para que se possa perceber esta situação caricata. Para isso basta ler o artigo de António Tavares publicado em ‘Odivelas.Com’, a 10 de Outubro de 2011. O jornalista afirma: «faria muito mais sentido ter sido criada a marca e depois criado um domínio “.PT” como é natural», acrescentando que «faz todo o sentido em projetos Institucionais deste tipo, sendo que um domínio “.COM” qualquer pessoa pode registar».

No mesmo artigo, o jornalista e director da Televisão de Lisboa explica: «A estrutura do “odivelscompras.com” é muito simples sendo composta de 3, repito Três Páginas aspx :

http://193.126.122.193:8088/Default.aspx

http://193.126.122.193:8088/Home.aspx

http://193.126.122.193:8088/Utils/Thumb.aspx esta gerada automaticamente no momento.

O resto dos conteúdos do sítio são fotos e rotinas javascript. As fotos residem no servidor como por exemplo: http://193.126.122.193:8088/img/stores/BombVol_16abc_foto.jpg»

«Mais importante – prossegue António Tavares – de que a construção de um sítio na Internet é sem dúvida a sua manutenção. Verificaram que as montras, porque é de um conjunto de fotos de montras que se trata, continuam inalteráveis (algumas com as grades fechadas)? Já pensaram que há necessidade de uma atualização no mínimo semanal? A dinâmica do comércio real e concreta é de tal ordem que acontece que numa semana poderá mudar não só o ramo de negócio como inclusivamente o nome da loja».

Para o jornalista, «neste caso particular e tendo em conta os objetivos constantes do protocolo celebrado nenhum dos objetivos está atingido, a saber:

Potenciar a imagem de modernidade de Odivelas. O interface e a ausência de qualquer componente de comércio eletrónico remete-nos para um sítio na Internet do início dos anos 90. Já ouviram falar em Web 2.0?

Potenciar a geo-referenciação e apresentação das montras do comércio – Objetivo não atingido. Não há indicações de geo-referência… a não ser que considerem a Rua e o número da porta como latitude e longitude. A apresentação das montras até pode ser contra-procedente porque na esmagadora maioria das montras, os artigos e as promoções, nada têm a ver com a atualidade (quando são visíveis).

Potenciar novos canais de comunicação dos lojistas através das suas montras virtuais e da sua gestão autónoma para promoções, atividades especiais e eventos, ofertas de emprego, informações ao cliente, fotografias adicionais, reservas e encomendas. Objetivo não atingido. Quanto ao novo canal de comunicação digo que é simplesmente ridículo até porque o único meio de comunicação é o telefone, quando consta, mas para isso já temos as listas telefónicas classificadas há umas dezenas de anos. Tudo o resto que se fala neste ponto não corresponde à realidade. Gestão autónoma de Promoções? Informações ao cliente?»

Outra das falhas é a não inclusão de vídeos promocionais conforme se promete no projecto, bem como alargar a promoção de oferta do Comércio Local de Odivelas para fora do Concelho.

Ainda por responder está o repto então lançado á presidente da Câmara de Odivelas pelo jornalista da TVL e da Odivelas.com: Que seja constituída uma comissão que investigue o projeto intitulado ”Odivelas às Compras” e que integre um elemento com conhecimentos de “Web Development” indicado por cada uma das bancadas da Assembleia Municipal – por José Maria Pignatelli

Comments are closed.