breaking news

Odivelas – Associações de Pais Não Admitem Falta de Respeito [vídeo]

Julho 24th, 2014 | by Antonio Tavares

A Câmara Municipal de Odivelas, reúne hoje às 18:00 tendo como ponto único a “Proposta de Implementação das Atividades de Enriquecimento Curricular (AECS)nas Escolas do 1º Ciclo do Ensino Básico, para o Ano Letivo 2014/2015. (DGEJCA/DE/SASE)

As Associações de Pais do Concelho de Odivelas estiveram ontem, dia 23/Julho, em grande maioria, reunidas na Associação do Vale Grande para debater a retirada das AECS às Associações de Pais (APs) e respetiva entrega às IPSS. APs2014-07-23

A Indignação pela Falta de Respeito de que estão a ser alvo por parte da Câmara Municipal de Odivelas (CMO) é o o estado de alma que melhor define o que se ouviu ontem na reunião dos Pais e Dirigentes das APs.

Uma das questões apresentadas por várias APs prende-se com os compromissos assumidos com colaboradores, que terão de ser dispensados se se vier a concretizar esta entrega das AECS às IPSS, salientando os Presidentes das APs que nalguns contactos que entretanto as IPSS vão estabelecendo com os Professores já se vai falando em pagamentos de 7 euros à hora o que é quase 50% do que é pago atualmente pelas APs.

A forma como este processo de entrega das AECS às IPSS foi apresentado em Julho quando ainda em Maio o trabalho das APs era elogiado pela CMO, apanhou todos de surpresa e sobretudo as APs e, com o inicio das aulas a menos de 2 meses, as APs acusam a CMO de falta de respeito pelo trabalho voluntário que ao longo dos anos têm desenvolvido e se em Maio eram “Bons” como é que de repente são desqualificados com esta decisão de entregar as AECS às IPSS.

Uma das conclusões deste encontro de APs é que aos Pais o que os move é o Superior Interesse dos Seus Filhos e que não vão abdicar de monitorizar a qualidade das AECS. Todo o trabalho que ao longo dos tempos permitiu às APs selecionar os melhores Professores é também agora posto em causa colocando todos os Professores em igualdade de oportunidades de concurso independentemente do seu desempenho anterior.

Para as APs presentes neste encontro todo este processo deveria ter sido conduzido atempadamente e não ser uma decisão em Julho com efeitos já para Setembro e sobretudo a CMO deveria de distinguir entre as APs que têm trabalhado bem e as outras, queixando-se mais uma vez que Professores do quadro e Agrupamentos não cumpriram o seu dever de Monitorização.

Em suma esta é uma situação em que os Pais e Direções de APs afirmam que não há critérios públicos e transparentes e no meu entender de jornalista faltou aqui comunicação da CMO e, na verdade, a FAPODIVEL também não está isenta de culpas e a necessidade da realização destas reuniões à margem da FAPODIVEL, vem provar que algo vai mal mas, sobre as suas estruturas representativas deixemos que seja o Movimento Parental a decidir.

 

António Tavares

 

Comments are closed.