breaking news

Afinal custam mais de 145 Mil euros, avenças para o Multiusos de Odivelas

Junho 28th, 2015 | by Odv

José Maria Pignatelli, deputado municipal do CDS-PP, voltou a intervir a propósito das avenças que a Câmara Municipal adjudicou para o pavilhão Multiusos e isto por já ter recebido resposta às perguntas que fez no passado dia 7 de maio que lhe levantam novas dúvidas. É que o autarca disse ter tomado conhecimento que o contrato realizado com a empresa Rebel Heart, por 74.999,99 euros, que se estende até final de 2017, serve – e citou -, “para dinamização de modalidades desportivas nos ginásios do pavilhão (…), para a qual se pretende que se efectue as seguintes modalidades: aulas de grupo, aulas de Kick Boxing e Defesa Pessoal”.   JMPignatelli-AvencasII

E em virtude desta exposição, José Maria Pignatelli questionou: se é o Município de Odivelas a entidade que avoca estas práticas desportivas, portanto que inscreve e cobra as mensalidades e/ou as anuidades aos praticantes, substituindo-se a uma associação ou empresa. E mais questionou: “Se assim é, quais são os preçários praticados por cada modalidade, bem como os respectivos calendários semanais das aulas”, ou qual foi a “razão que levou a Câmara Municipal a optar por esta modalidade em pagar directamente à entidade que ministra estas disciplinas desportivas, ao invés de propor precisamente o contrário: a empresa aluga os ginásios e lucra com as receitas provenientes das quotizações aos praticantes

O autarca adiantou que “a outra avença, adjudicada à empresa Believe Positive, poderá afinal custar um máximo de 70.680 euros e não um total de 35.400 euros, dos quais mais de 33.500 euros serão pagos ainda este ano”.

Para o deputado do CDS, “este ajuste não deixa de ser estranho já que o ‘Objecto’ descrito no caderno de encargos anuncia umaprestação de serviço de assessoria na gestão e operacionalização de eventos no pavilhão Multiusos e na organização e produção de eventos da Divisão de Desenvolvimento Desportivo’”.

José Maria Pignatelli duvida que os técnicos da Divisão de Desenvolvimento Desportivo do município não tenham competências para realizar os eventos que eles próprios propõem e organizam, afirmando: “Fico perplexo com o modo como esta Câmara Municipal julga a competência dos seus funcionários, chamando a si, frequentemente, prestadores de serviços, muitos deles a cobrarem valores demasiado elevados para aquilo que fazem”.

Comments are closed.