breaking news

Odivelas – A Degradação da Escola Dom Dinis nos Pombais

Fevereiro 7th, 2016 | by José Maria Pignatelli

Em Odivelas Escola Dom Dinis nos Pombais, mais de 30 anos sem obras

A Escola Dom Dinis nos Pombais – onde são lecionados do quinto ao nono ano de escolaridade e mais recentemente 3 cursos vocacionais – data do início da década de 80’ do século passado e nunca foi alvo de uma intervenção de fundo, mesmo as mais prementes: correcção estruturais fruto de se encontrar construída sobre terrenos maioritariamente argilosos, uma das razões para a degradação de pavimentos por abatimento e fracturas de paredes e muros.

IMG_1385_1280IMG_1425_650

Mais de 90 por cento das coberturas mantêm-se em fibrocimento e os telheiros encontram-se em clarividente deterioração, por falta de conservação.

Também todos os blocos necessitam de reparação das paredes: A escola apenas consegue realizar pinturas exteriores ao nível do rés-do-chão já que as verbas não permitem pagar o aluguer de andaimes.

Tema relevante também é a segurança, directamente relacionada com a maior violência registada, desde que o estabelecimento de ensino ministra três cursos vocacionais frequentados por jovens adolescentes mais velhos.

É prudente mudar a entrada da escola

Mas entre as reclamações mais pertinentes da direcção da escola D. Dinis – antiga escola dos Pombais – é a segurança dos alunos, sobretudo nas imediações da escola, por questões relacionadas com a regulação do trânsito e sinalização.

A proposta para solucionar esta questão passa por mudar a portaria – portanto o acesso principal ao estabelecimento de ensino – para o lado da rua Lima Basto onde há maior espaço para circulação dos alunos e estacionamento das viaturas. Trata-se de uma artéria que está envolvida num grande espaço, junto ao Multiusos de Odivelas. Assim, tirava-se a portaria principal da Rua do Lobito que é uma espécie de travessa estreita e que se cruza com uma rua que tem dois nomes: António de Freitas e Gama Pinto, utilizadas como acesso da zona antiga de Odivelas às Colinas do Cruzeiro, que mais não é que um verdadeiro corredor de circulação automóvel para o qual o eixo viário nem sequer está preparado.

Sobre este assunto, o deputado municipal José Maria Pignatelli estranha que “a Câmara Municipal desconheça a situação, já que o relatório da Autoridade de Saúde Pública, de Maio de 2013, é arrasador sobre quase todos os pontos de vista”. O autarca do CDS-PP esclarece que os relatórios sobre as condições das infraestruturas e condições de higiene e segurança das escolas “são também enviados às Câmaras Municipais e naturalmente dirigidos aos seus presidentes, o que foi o caso deste pois confirma pela cópia que possui”.

Comments are closed.