breaking news

Odivelas – CMJ uma Perda de Tempo para a JSD

Maio 11th, 2016 | by Antonio Tavares
Odivelas – CMJ uma Perda de Tempo para a JSD
Politica
0

Este foi o primeiro Conselho Municipal da Juventude de Odivelas (CMJ), realizado na ES Braamcamp Freire, em que estivemos presentes e, logo para ouvir David Castro da JSD Odivelas, afirmar que “É o segundo CMJ em que estou presente em que se perde uma hora e meia na politiquice“.

Outros destaques para a intervenção de Carlos Pires da CDU que veio salientar a falta de espaços para a juventude na Pontinha, João Pedro Galhofo que apresentou uma recomendação para que as reuniões do CMJ sejam públicas e José Maria Pignatelli que apresentou uma recomendação sobre as férias escolares de Verão.


David Castro Presidente da JSD – Odivelas

“A JSD não vem para aqui fazer politiquice. É o segundo CMJ em que estou presente em que se perde uma hora e meia na politiquice”.
“A JSD não estará presente em CMJ em que seja uma mera perda de tempo ou uma mera promoção pública do órgão no sentido em que não promove o verdadeiro objetivo que é o órgão”.
“Porque perder duas ou três horas vir aqui para ouvir aquilo que ouvi hoje não contem com a JSD seja de que maneira for”.
“Agora perder três horas em que eu saio daqui e vou para outra reunião e quando chegar à outra reunião e perguntarem o que é que aconteceu, vou dizer assim: Bem no fundo não saiu nada daqui… A JSD não estará disponível para isso”.
“Para situações futuras caso a JSD não esteja presente é porque sente que não houve uma mudança”.

Carlos Pires da CDU – Falta de espaços para a Juventude na Pontinha

João Pedro Galhofo da JP de Odivelas – Recomendação para que as reuniões do CMJ sejam públicas

José Maria Pignatelli do CDS/PP – Proposta sobre as férias escolares de Verão

Férias escolares devem preocupar Câmara Municipal
No Conselho Municipal, o CDS-PP sugere iniciativas para ocupar os estudantes nas férias de Verão, um período em que a maioria das crianças e jovens se encontram mais desacompanhadas.

José Maria Pignatelli sugeriu à Câmara Municipal de Odivelas um conjunto de iniciativas para ocupação dos estudantes em tempo de férias de Verão, preferencialmente em Julho e na última semana do mês de Agosto, que considerou serem “os períodos em que a maioria das crianças e jovens se encontram mais desacompanhadas”. E aconselhou que essas atividades sejam programadas por freguesia e em parceria com as respetivas autarquias para facilitar a sua organização; que sejam suportadas nas instituições que fomentam as AEC (Atividades Extra Curriculares) e nos clubes e ou associações de caracter desportivo e cultural, sobretudo vocacionados em áreas socioeducativas; que sejam disponibilizados os equipamentos municipais que servem aos programas desportivos e culturais que tem menor afluência de utilizadores nesses períodos do ano.
O autarca do CDS-PP sugeriu ainda o “aproveitamento dos meios de transporte municipais para a programação de visitas aos locais de cultura, como os muitos museus da Área Metropolitana de Lisboa que se mantêm com entradas gratuitas, bem como a empresas do concelho de maior interesse como a fábrica Imperial que, em 1947, inventou a máquina de refrigeração e de pressão que originou a célebre cerveja imperial tão nossa conhecida, ou a fábrica de válvulas Velan considerada em todo o mundo”.
Para o eleito centrista é determinante manter as crianças e jovens ocupados nas férias de Verão, período que medeia os anos escolares e se estende habitualmente por 10 semanas, “por que se reconhecesse que é demasiado tempo para manter os estudantes ligados a qualquer projeto educativo, na escola ou fora dela”, sublinhando que “é difícil prosseguir hábitos relacionados com o estudo e mesmo com disciplinas eventualmente mais lúdicas que propiciem o aumento do conhecimento, como seria desejável”.

Impõe-se um novo calendário escolar
O deputado municipal afirmou que nesse período do ano “os estudantes têm apenas uma certeza: só gozarão férias em programa familiar durante três ou quatro semanas, ficando o restante tempo dependentes dos cuidados de terceiros e, tantas vezes, de instituições nem sempre enquadradas com as necessidades e hábitos das crianças e jovens. Também muitos destes estudantes, em idade adolescente, passam os dias sozinhos, à sua sorte, enquanto os pais trabalham”.
“Esta realidade – adiantou -, é difícil de inverter sobretudo nas grandes metrópoles, mais vulneráveis às desigualdades e consequentemente à instabilidade. Estamos perante um tema pertinente que desperta maiores preocupações na sociedade, entre alguns eleitos políticos e, em particular, entre os agentes educativos”.
José Maria Pignatelli disse que é “importante estabelecer um novo modelo de ano escolar e de atividades extra curriculares que sirva a comunidade global e seja inclusivo, verdadeiramente direcionado no interesse dos estudantes e também capazes de os preparar melhor na progressão nos ciclos do ensino e fomentar o entusiasmo pela escola”. E frisou: “Neste sentido, e enquanto se inicia o debate sobre a alteração do calendário do ano lectivo dos doze primeiros anos de escolaridade, é preciso criar iniciativas que permitam aos estudantes do concelho de Odivelas ocupar os tempos livres das férias de Verão”.
Por último, o autarca centrista esclareceu que “o maior investimento que esta iniciativa obriga enquadra-se no âmbito da criatividade e da capacidade da Câmara Municipal interagir com os potenciais parceiros na sua área de influência”.

Comments are closed.