breaking news

Odivelas – Os Bons e Os Maus Jornalistas e os Interesses Instalados

Odivelas – Os Bons e Os Maus Jornalistas e os Interesses Instalados

Junho 8th, 2016
Editorial

Ao longo dos últimos meses temos vindo a publicar diversos artigos sobre a situação do CAC da Pontinha, fruto de um conjunto imenso de informação a que temos tido acesso e cuja maioria é do conhecimento de muitos dos sócios do Clube. Essa mesma documentação, escrita, é também do conhecimento do Vereador do Desporto, Paulo César Teixeira, tal como o próprio afirmou em reunião pública de Câmara e da Presidente da União de Freguesias Pontinha/Famões. Neste Município de eleição, de eleitos e eleitores, acontecem até situações caricatas de adjuntos autárquicos, de segundo plano, assumirem posições públicas em reuniões com os Clubes da Pontinha, incluindo o CAC, contrariando em absoluto aquilo que o seu Vereador do Desporto, do seu PS, afirma em reuniões dos Órgãos de Soberania. São os pequenos peões que, pelos serviços prestados ao partido, ascenderam a posições em que infelizmente a sua incompetência faz consideráveis estragos…

Nestes 27 Km com muitos quadrados, parece ninguém tomar a devida nota das declarações dos responsáveis e da informação abundante que circula sobre esta situação do CAC, como de outras, com diversas fontes disponíveis. A incompetência e a impunidade são contrastes naturais de estruturas em que o cartão e os serviços prestados falam mais alto que o mérito mas isso, é pedra de toque que corre a partidocracia de uma forma transversal.

Neste contexto, como noutros, os Jornalistas têm obrigação de levar ao conhecimento público os factos relevantes a que têm acesso direto ou através das suas fontes. A informação livre é a base nuclear da Democracia com “D” grande e um contributo insubstituível para a transparência, condição primeira do regime Democrático.

Numa situação em que os maiores responsáveis se têm demitido das suas responsabilidades perante os Cidadãos que os elegeram, só faltaria que os Jornalistas através dos seus Meios de Comunicação se demitissem do seu papel de informar mas, obviamente, que falo de Jornalistas daqueles com carteira e com direitos e deveres.

Importa aqui realçar que a situação do CAC já foi notícia em Jornais nacionais como “A Bola” e o “Correio da Manhã” com títulos como “Corrupção em clube de craques” – CM 19.11.2015 e “Grupo de sócios apresenta queixa na Procuradoria” – “A Bola” 6 de Setembro de 2014 mas, “curiosamente”, no concelho de Odivelas apenas o “Odivelas.com” tem publicado documentos sobre a situação do CAC. Convirá aqui deixar alguma informação que ajude os que andam mais distraídos a compreender porque os outros OCS de Odivelas se têm mantido calados.

Vitor Cacito é Diretor da Rádio Cruzeiro e atual presidente da Assembleia Geral do CAC e foi presidente da direção do CAC. Fátima Silva, mulher de Luís Filipe Silva, desempenhou e desempenha papel fundamental na gestão do CAC nos últimos anos e nos mandatos de Vitor Cacito como presidente da direção do CAC e pertence tal como Luís Filipe Silva aos quadros da Rádio Cruzeiro. A Rádio Cruzeiro está em incubação há vários anos em instalações camarárias.

Francisco Godinho é o proprietário do “Odivelas notícias” e, desde 2008 que o CAC lhe entregou a publicidade do “Torneio Internacional de Infantis”. Segundo o grupo de sócios do CAC que entregou na Procuradoria da República a queixa depois enviada ao Ministério Público e que corre no Tribunal de Loures, os relatórios de contas do CAC não refletem receitas da publicidade vendida referente ao “Torneio Internacional” e apenas figuram despesas apresentadas por Francisco Godinho. Vitor Cacito, atual presidente da Assembleia Geral do CAC é colunista no jornal de Francisco Godinho.

É óbvio que, em Odivelas, há uma tradição de fingir que não se passa nada e é, com o maior à vontade, que políticos de todas as bancadas se relacionam e colaboram com aqueles que pela sua falta de ética deveriam merecer uma certa distância. Infelizmente para a maioria dos políticos “aparecer” é condição primeira e, o resto, é uma consequência.

Uma palavra final para todos os artigos que temos vindo a apresentar e respetivos documentos. O tempo têm-nos dado razão e as estratégias de levar o CAC para os braços do presidente da junta de Carnide estão a ser um desastre reduzindo o CAC a um clube de rua. Desastre também a estratégia da Câmara Municipal de Odivelas (CMO) que, ignorando todas as informações que tem na sua posse, optou por ir apoiando a atual direção do CAC. A CMO sabe que mesmo o Futebol Feminino terá para o ano o apoio de transportes da FPF (veremos se incluirá os pais como tem acontecido…) mas, como é fácil perceber, ao não tomar qualquer posição como era sua obrigação, a CMO tem contribuído de forma decisiva para a morte do CAC. Não tenhamos dúvidas que a criança está nas mãos do Poder Local e as tentativas de chantagem a que tem sido sujeito não auguram nada de bom.

Esta posição do Executivo da CMO irá arrastar por inerência a Presidente Corália Rodrigues que, na Freguesia da Pontinha, é a eleita do PS. O PS, bem o PS são vários PS e, por vezes, ficamos com a sensação que, aqui na Pontinha, o CAC poderá ser a ponta do icebergue em que alguém se vai afundar para benefício de outros que têm andado muito calados. Para o ano há eleições.

Luís Filipe Vieira dizia em entrevista que gravámos há uns anos atrás, no estádio da luz, que o nome de Susana Amador ficaria para sempre ligado à morte do Odivelas FC (1) veremos que nome do atual Executivo ficará para sempre ligado à morte do CAC da Pontinha.

É a política meus senhores.


(1) Como temos vindo a noticiar é previsível a breve prazo o retorno à vida plena do Odivelas FC

Comments are closed.