breaking news

Odivelas – Democracia versus “lei da rolha”

Odivelas – Democracia versus “lei da rolha”

Junho 20th, 2016
Painho Ferreira [Opinião]

Na última Assembleia Municipal assistimos uma vez mais à utilização da “lei da rôlha” pela maioria PS/PSD.

Como tive ocasião de referir, trata-se de um comportamento lamentável a vários títulos.

Importa destacar que o assunto em discussão era o destino a dar à Malaposta. Sendo este um equipamento único no género no Concelho de Odivelas, era de esperar que se desenrolasse no Orgão Deliberativo uma viva discussão sobre o tema. E ter-se-ia dado esse debate não fosse o caso da bancada do PSD ter entregue um requerimento para que ao fim de poucos minutos se passasse imediatamente à votação.

Infelizmente o PS acompanhou o PSD e à oposição restou ficar de “bico calado”!

   Este comportamento revela uma enorme falta de respeito democrático pelos adversários políticos e sobretudo pela população que eles legalmente representam. 

O PS e o PSD prestam um mau serviço ao funcionamento das instituições democráticas quando assumem comportamentos como este.

   A Assembleia Municipal não deve ser transformada numa “câmara de eco” do Executivo PS/PSD  que comanda ainda os destinos do Concelho de Odivelas, sob pena de prescindir do seu verdadeiro papel.

O tema da Cultura no Concelho e em especial o da Malaposta, merecem uma séria reflexão de todos os eleitos.

A Cultura não é uma questão menor, mas sim antes uma variável chave para o desenvolvimento futuro.

Não entender isto e entregar a um qualquer grupo privado  a exploração e programação da Malaposta, bem como deixar em aberto o conteúdo das actividades a desenvolver é, uma decisão que marcará de modo seriamente negativo o mandato da maioria PS/PSD que em coligação governa a CMO.

Com esta decisão o PS e o PSD demitem-se de facto de parte das funções para as quais foram eleitos.

   A Democracia faz-se de confrontos de opiniões, faz-se de debates vivos e abertos. Cercear esses debates é um duro golpe para as Instituições Democráticas.

Comments are closed.