breaking news

Mário Fonseca em Defesa do CAC da Pontinha na A.M. de Odivelas

Julho 14th, 2016 | by Antonio Tavares

Assembleia Municipal de Odivelas, 7 de Julho de 2016. O Cidadão Mário Fonseca intervém em defesa do CAC da Pontinha começando por referir o seu envolvimento no apoio de António Costa, à altura Presidente da Câmara Municipal de Lisboa (CML), que culminou no contrato programa para o campo relvado, que nunca veio a ser feito, apesar da entrega da CML ao CAC da Pontinha de 109500 (cento e nove mil e quinhentos euros).  Referiu ainda a presença no CAC da Pontinha de Hugo Martins, Paulo César e Corália Rodrigues a seu convite quando verificou que o projeto do campo relvado não estava a ser cumprido e a posição do Vereador da CML, Jorge Máximo, de não avançar com a segunda fase do contrato programa mediante os acontecimentos.

Mário Fonseca continuou a sua intervenção chamando a atenção do Executivo que as atletas do Futebol Feminino abandonaram o Clube e realçando a campanha da tarja que exigia o campo relvado e que deixou mal Odivelas nos concelhos vizinhos, quando o CAC da Pontinha já recebeu dinheiro para o campo da CML. Quanto aos credores do CAC da Pontinha, Mário Fonseca afirmou que tem mantido contactos com os credores e que tem compromissos para que o CAC da Pontinha não acabe. A condição fundamental para que haja soluções para o Clube, segundo Mário Fonseca, é que o Clube esteja na Legalidade. Falando do Torneio do CAC da Pontinha, Mário Fonseca deu o exemplo do torneio em que Cristiano Ronaldo foi patrono e em que o Clube só teve despesas e quanto às receitas do torneio ficaram na Francisco Godinho, proprietária do “odivelas notícias” e que, por isso, é que este jornal não fala da situação do CAC da Pontinha.

Falou depois Mário Fonseca da estratégia dos atuais dirigentes de levar o Clube para Carnide, para um campo gerido pela jf de Carnide em que o CAC da Pontinha perderia a sua autonomia e realçando que é contra isso que se bate porque o  Clube é da Pontinha.

Para Mário Fonseca a Câmara Municipal de Odivelas (CMO) não pode pactuar com a Ilegalidade, referindo, como exemplo, que os treinadores não podem ser dirigentes porque os estatutos do Clube não o permitem.  A auditoria às contas do Clube é, para Mário Fonseca, nas atuais condições, uma atitude obrigatória da CMO que tem cobertura ao abrigo do PAMO.

 

As declarações de Hugo Martins e Paulo César Teixeira, em resposta à intervenção de Mário Fonseca foram no sentido de confirmar o seu conhecimento de toda a situação do CAC da Pontinha e os momentos de convulsão e nebulosidade da legitimidade porque tem passado. Confirmaram ainda os dirigentes do Município de Odivelas o seu conhecimento da forma irregular como foram alterados os órgãos sociais eleitos na Assembleia Geral do CAC da Pontinha e a sua vontade de retirar o problema da gaveta, encontrar uma situação de equilíbrio em conjunto com a CML e a CMO e uma solução mediada com os Credores agindo a CMO como facilitador e não interveniente.

 

N.R. Fica mais uma vez bem exposta toda a situação porque passa o CAC da Pontinha e sobre a qual temos vindo a informar com verdade os Cidadãos, ficando igualmente bem exposto o comportamento da “rádio cruzeiro” e da “odivelas notícias” em todo este assunto. Quanto a Mário Fonseca depois da presença na Assembleia de Freguesia da Pontinha, na A.M. de Lisboa e agora na Assembleia Municipal de Odivelas em defesa do CAC da Pontinha, tomámos a iniciativa de o convidar para uma entrevista que terá lugar em breve na OdivelasTV.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *