breaking news

Odivelas – O Dinheiro que fez o CAC da Pontinha “Esquecer” Litígio com Belenenses

Setembro 9th, 2016 | by Antonio Tavares
Odivelas – O Dinheiro que fez o CAC da Pontinha “Esquecer” Litígio com Belenenses
Desporto
0

CAC da Pontinha e Belenenses chegaram a acordo, em dinheiro, para por fim ao litígio sobre as jogadoras do futebol feminino que abandonaram em bloco o CAC para ingressarem no Belenenses. Já amanhã, sábado, 10 de Setembro, as jogadoras em causa estarão em campo pelo Belenenses no jogo com o Sporting.

Ao que o “Odivelas.com” apurou, tudo foi decidido numa reunião, promovida pela FPF, entre o Belenenses e o CAC da Pontinha em que o Belenenses apenas aceitou pagar metade da verba que o CAC pretendia para “esquecer” o caso. Na verdade, embora o Belenenses tivesse garantias da sua razão, esta “solução” encontrada, pretende colocar um ponto final no litígio que se poderia arrastar por vários meses prejudicando as atletas e o seu contributo para o Belenenses na Liga de Elite.

Relembramos aqui as jogadoras que abandonaram o CAC da Pontinha para ingressarem no Belenenses:  Jessica Garra, Jessica Alves, Catarina Dinis, Sónia Castanheira, Rita Valente, Raquel Oliveira, Catarina Carvalho, Flávia Santos e Patrícia Pelado. As jogadoras foram inscritas pelo CAC na AFL, o que veio a ser impugnado pelo Belenenses. De qualquer modo, obviamente que sendo opções para o jogo de amanhã, as jogadoras já se encontram inscritas, agora pelo Belenenses. A única certeza que havia era que as atletas preferiam ficar 1 ano sem jogar do que voltar ao CAC.

Ficamos a aguardar que a verba recebida, como é natural, dê entrada nas receitas do Clube no Relatório e Contas de 2016.

O FIM DAS ESCOLINHAS DE FUTEBOL 7

As escolinhas do futebol 7, coração da formação e no fundo o ADN do CAC da Pontinha, estão em vias de extinção mantendo apenas um número de crianças sem expressão. A debandada é geral e, na verdade, os pais das crianças tomaram consciência que tudo o que tem vindo a ser prometido por esta oligarquia (1) é uma falácia, sobretudo quando foram informados que, a qualquer momento, o CAC da Pontinha teria de abandonar as atuais instalações onde tem os campos de futebol. Sem o manancial de formação e receitas que o futebol 7 representava para o Clube chegamos a uma triste situação em que o CAC da Pontinha por um lado perde uma parte importante da sustentação financeira e por outro lado deixa, por falta de matéria prima, de ser o viveiro de jogadores de formação que distinguia o Clube e que o tornava apetecível pelos grandes clubes como o Benfica e o Sporting que celebravam protocolos com receitas importantes para o CAC da Pontinha.

A falta de humildade continua a cegar a oligarquia (1) dirigente que não é capaz de perceber que é ela o problema. Para bem do CAC da Pontinha, obviamente demitam-se e abram caminho à eleição de uma Comissão administrativa!

Em cima da mesa continua uma INSOLVÊNCIA decretada a qualquer momento, um PROCESSO no Ministério Público e uma AUDITORIA às CONTAS para que se apurem os RESPONSÁVEIS e se instruam os respetivos PROCESSOS DISCIPLINARES a Funcionários.


(1) Oligarquia é um termo que tem origem na palavra grega “oligarkhía” cujo significado literal é “governo de poucos” e que designa um sistema político no qual o poder está concentrado em um pequeno grupo pertencente a uma mesma família, um mesmo partido político ou grupo económico. A oligarquia é caracterizada por pequeno grupo que controla as políticas sociais e económicas em benefício de interesses próprios.

De acordo com Aristóteles e a sua divisão de formas de Estado, a oligarquia é contemplada como uma depravação da aristocracia, onde o poder é exercido para o benefício de um grupo ou classe e não da população em geral.

Uma das expressões mais conhecidas deste sistema político foi a oligarquia espartana, também conhecida como oligarquia militar. Esparta era regida por dois reis (diarquia) e foi controlada por um pequeno grupo de famílias mais importantes.

Comments are closed.