breaking news

Odivelas: Paróquia da Ramada não constrói em terrenos cedidos pela Câmara

Outubro 21st, 2016 | by Antonio Tavares
Odivelas: Paróquia da Ramada não constrói  em terrenos cedidos pela Câmara
Noticias
0

José Maria Pignatelli recomendou à Câmara Municipal de Odivelas que “promova uma solução célere para que sejam construídos, em todo ou em parte, os equipamentos prometidos pelo Centro Comunitário e Paroquial da Ramada, pois está em causa a honorabilidade da autarquia e de terrenos públicos que foram cedidos, por uma opção política que acaba por se manifestar fracassada”.esc-isabel-portugal-03

O Centro Comunitário e Paroquial da Ramada tem uma nova direcção e são enormes as dificuldades na gestão da instituição, após a saída do seu anterior responsável, também pároco da freguesia, pelas piores razões que todos conhecem e têm sido amplamente noticiadas”, afirmou o autarca do CDS-PP em conclusão de uma reunião com IPSS, onde aquela instituição se fez representar. E adianta que “percepcionámos que não será no curto-prazo, nem casualmente a médio-prazo, que as três obras prometidas por aquele centro paroquial em terrenos públicos cedidos pelo Município de Odivelas, serão concluídas, a menos que se encontre uma solução junto de outras instituições eclesiásticas ou mesmo do Patriarcado de Lisboa”.

Para o deputado centrista, é “previsível o eventual abandono de duas obras que começaram em dois terrenos contíguos na Avenida das Acácias, junto às Colinas do Cruzeiro”.

Tratam-se dos equipamentos da Associação Protectora das Florinhas da Rua, um Lar de Infância e Juventude para 25 crianças, já com o edifício construído, sem equipamentos e acessibilidades; e do Pólo Social Santa Teresinha, com as fundações parcialmente realizadas e uma pequena parte da estrutura, que compreende dois edifícios para albergar 8 valências no âmbito da assistência social para crianças e idosos.

Aliás, sobre esta última obra, o autarca do CDS-PP salienta que a mesma “terá de terminar até ao próximo dia 19 de Fevereiro de 2017 e isto já contadas duas prorrogações do prazo de construção, uma aprovada a 8 de Julho de 2009 e outra em 7 de Outubro de 2015. E como isso é uma impossibilidade evidente, nem mesmo com um milagre a obra estará concluída, deve a Câmara promover a reversão do direito de superfície do terreno que tem mais de 11.500 metros quadrados”.esc-isabel-portugal-00

E não há lugar para mais prorrogações – adianta o autarca -, pois aquele Centro Comunitário da Ramada ainda está em falta com uma terceira construção no terreno da escola Isabel Portugal, na Arroja, que foi cedido pela Câmara Municipal por 50 anos, em escritura lavrada em 5 de Agosto de 2014, para a edificação de um equipamento destinado a doentes de alzheimer, cuja construção devia ter começado no passado dia 5 de Agosto deste ano e ficar concluída durante os próximos 5 anos”.

“Florinhas da Rua” tem sede em Loures, mapolo-santa-teresinha-03s recebe terreno e mais 150 mil euros da Câmara de Odivelas

O Deputado salienta que “esta realidade mostra também a vulnerabilidade das instituições que se propõe a obras ambiciosas sem garantirem receitas adequadas, tanto mais que se encontram fortemente dependentes da subsidiação pública, seja das Administrações Públicas Central ou Local”.

Por outro lado – prossegue -, demonstra ainda o grande e questionável benefício da dúvida que a Câmara Municipal de Odivelas deu à anterior gestão daquele Centro Comunitário e Paroquial da Ramada, beneficiando claramente a instituição relativamente a outras. E ainda maior perplexidade quando se sabe que a Associação Protectora das Florinhas da Rua é sediada em Loures e terá recebido o Município de Odivelas um subsídio de 150.000 euros além da entrega do terreno”.

José Maria Pignatelli recorda também “o enorme entusiasmo de alguns membros do Executivo de então e dirigentes do município, para com o trabalho desenvolvido pelo sacerdote daquela paróquia, o padre Arsénio Isidoro, até com o que promovia além-fronteiras numa ex-colónia portuguesa, no arquipélago de São Tomé e Príncipe”.

O autarca lembra as promessas eleitorais de 2013, da então Presidente da Câmara, em dispor-se trabalhar para que se encontrassem outras fontes de receita para as IPSS do concelho, “o que fez com que o Centro Paroquial da Ramada fosse brindado com as actividades extra curriculares que eram desenvolvidas pela escola Vasco Santana, numa decisão sem motivo aparente… Foi de tal modo, que o Pároco da Ramada, o padre Arsénio Isidoro, tratou de contratar os mesmos docentes que ministravam essas aulas e de recolher algum equipamento dessa AEC”.

Segundo José Maria Pignatelli, a “curiosidade maior é não se conhecem as contas dessa actividade, que o município então queria escrutinar a bem da transparência”.

Para o deputado do CDS-PP não se trata “de estar contra as instituições de solidariedade social, ou o trabalho que desenvolvem, mas antes da administração local cuidar da forma como distribui os apoios municipais, tanto mais que, no concelho de Odivelas, encontramos um conjunto de IPSS em dificuldades financeiras pós-resgate do País, esforçando-se por manter o apoio a centenas de crianças e idosos, num trabalho meritório em toda a sua dimensão. Mas considero que os Executivos camarários, desde 2005 beneficiaram claramente algumas das obras da igreja católica em detrimento de outras, e sobretudo as obras do padre Arsénio Isidoro, enquanto esteve na paróquia da Ramada, pois soube tornar-se uma pessoa muito perto do poder, particularmente dos autarcas do Partido Socialista”.

Comments are closed.