breaking news

Escola, violência e Manuais – Comunicado de Imprensa da FERLAP

Janeiro 19th, 2017 | by Antonio Tavares
Escola, violência e Manuais – Comunicado de Imprensa da FERLAP
Cultura
0

Recebemos da FERLAP com o título “Escola, violência e Manuais” o seguinte Comunicado de Imprensa:

O que poderão ter umas coisas a ver com as outras, bem, tirando o facto de terem a ver com a Escola, nada e tudo ao servirem de pretexto para este comunicado. A violência entre os miúdos voltou a ser notícia. A FERLAP vem de há muito alertando para a gravidade de uma situação que se tem vindo a agravar, tem apresentando ideias e apontado direcções. Infelizmente, como sempre nestas coisas, não tem recebido qualquer retorno de quem de direito, parecendo que prevenir o crescendo da violência juvenil não é uma prioridade de uma sociedade evoluída e Democrática. No final do ano de 2016 foi lançada uma informação, à comunicação social, aos parlamentares e aos governantes, nacionais e locais, baseada nas respostas a um inquérito de opinião ao movimento associativo da região da FERLAP, onde eram apontadas algumas propostas para prevenir estas e outras situações. Salvo honrosas excepções caiu em saco roto. Agora, aí Jesus que há violência juvenil. Quase 47 anos de Democracia não produziram o que se esperava de uma Revolução, continuamos a ser um povo conformista e reagente, apenas nos preocupamos depois de acontecer, falamos muito e fazemos pouco. Talvez esteja na altura de alterarmos as coisas, talvez esteja na altura de deixarmos de reagir e passarmos a AGIR para PREVENIR. Na mesma informação fizemos chegar a opinião das Associações de Pais da nossa Região sobre os Manuais escolares, por coincidência hoje, 13 de Janeiro de 2017, o tema do programa da RTP Sexta às 9 foi “Negócio dos manuais escolares torpedeia lei de reutilização” (http://www.rtp.pt/noticias/pais/negocio-dos-manuais-escolares-torpedeia-lei-de-reutilizacao_v975858) onde são levantadas algumas questões que acabaram mais uma vez por ficar sem resposta por parte das editoras e de quem nos governa. Os Pais apresentam propostas que, de acordo com o mesmo programa, já são praticados noutros Países. Não se percebendo o motivo porque não são praticados em Portugal. Também aqui é necessário agir para prevenir. A Educação é um serviço público e não pode NUNCA ser um meio de financiamento às empresas. Assim, está na altura de ser produzida legislação que previna casos como os apontados no programa Sexta às 9 de 13 de Janeiro de 2017. Existem soluções, só é necessário CORAGEM política para que tal seja conseguido. Como entendemos que a nossa função não é apenas criticar, fazemos o trabalho de casa e apresentamos soluções, cabe a quem nos governa decidir se valem a pena, ou, não. Até agora parece que a nossas ideias não valem a pena, talvez por isso, a Educação chegou ao estado em que se encontra. Ok, está melhor do que ontem, mas, muito longe do que se espera da Educação num País desenvolvido e Democrático. Voltamos a enviar, em anexo, a informação disponibilizada em 23 de Novembro de 2016 com as conclusões e os dados recolhidos para vossa análise e considerações.
Isidoro Roque
Presidente CE

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *