breaking news

LIXO EM ODIVELAS

Julho 10th, 2017 | by Oliveira Dias
LIXO EM ODIVELAS
Colunistas
4

É sabido, pelo menos por quem habita no Município de Odivelas, uma vez que aqueles que por aqui passam, passam sem ver nada, que a questão envolvendo os residuos sólidos urbanos domésticos ( e não só já agora), que é como quem diz em vernáculo, o LIXO, abunda em quantidades desadequadamente enormes, conspurcando a nossa cidade, e gerando um impacto visual aboslutamente constrangedor. 

Não é, de todo, aceitável que o LiXO se amontoe nos pontos de recolha, nos contentores destinados a esse efeito, ainda que acondicionado em sacos de plásticos, contribuindo para os cheiros nauseabundos que decorrem da acumulação e decomposição de detritos orgânicos, nas nossas ruas.

Isto levanta um problema, sério, de saúde pública, porquanto este LIXO fomenta o surgimento de ratos e ratazanas, exelentes portadores e difusores de toda a espécie de doenças.

A qualidade de vida, ou antes a falta dela, vê-se nesta questão – a urbe cresce desmesuradamente, é certo, mas o desenvolvimento harmonioso fica adiado, e pior, fica hipotecado por este tipo de ocorrências, que se têm vindo a banalizar em Odivelas nos últimos tempos.

E atenção, isto só acontece no município de Odivelas, pois basta atentar no muncípio de Loures e tal não sucede … .

Ora aqui bate o ponto ambos os municípios são “servidos” pelo SIMAR, a empresa intermunicipal que, em teoria, deveria prestar um serviço de qualidade em matéria de saneamento básico e distribuição de água canalizada.

O problema, no território odivelense, é que nem se põe a questão do serviço ser de qualidade ou não, simplesmente esse serviço NÃO É PRESTADO NO QUE DIZ RESPEITO AO LIXO.

Num passado recente houve uma desgastante luta de egos e vaidades entre ambos os municípios a propósito da mal resolvida questão da divisão dos serviços municipalizados de Loures, que desde a criação do município de Odivelas deveria ter sido feita, mas que razões obscuras foram protelando “ad eternum”, até que, em 2013, a luta entre visões opostas, sobre a solução mais adequada, entre as Presidêncas de Loures e de Odivelas, culminaria com o triste episódio de Odivelas admitir como boa, a solução preconizada por Loures mas … só depois da mudança de cadeiras no pós autárquicas de 2013, com claro beneficio para a força que em Odivelas se opunha á então gestão municipal, mas que em Loures lograria ganhar a cadeira presidencial.  

A solução foi pois a criação do SIMAR, cuja presidência seria rotataiva entre Loures e Odivelas.

Aparentemente não resultou, e é muito estranho que tendo o Presidente da Câmara Municipal de Odivelas assento no Conselho de Adminsitração do SIMAR, tal não se traduza por nenhum beneficio para Odivelas, basta olhar para o LIXO acumulado por todo o território municipal Odivelense.

Se em Loures tal não acontece, isso é porque cada um trata dos seus … e Odivelas em vez de tratar dos seus, ignora-os.

Chegu a hora de repensar os SIMAR. Se no que á gestão da água de consumo humano até vai resultando a sinergia Loures/Odivelas, ademais bem mais dificil de proceder a uma efectiva autonomização da respectiva aministração e gestão, já quanto aos resíduos sólidos urbanos domésticos e não domésticos, impõe-se uma verdadeira autonomização.

Vai sendo tempo de Odivelas ter a sua empresa municipal para o saneamento básico, separando-se, neste particular dos SIMAR.

Só assim, os Odivelenses recuperarão poder de decisão nas questões que os afetam diretcamente, pois não serão os outros a resolver os problems por nós, aliás como se tem visto.

A criação desta empresa não será um “parto” fácil … e então ? a criação do município de Odivelas também não o foi e cá estamos 18 anos depois prontos para outro tanto.

Não podemos é estar entregues ao desprezo que Loures nutre por nós, nesta matéria, com a complacência de uma Presidência Odivelense inepta e catatónicamente ausente das soluções.

LIXO NÂO.

Oliveira Dias

Co-fundador do Movimento Odivelas a Concelho

4 Comments

  1. Judite Castro says:

    Gostava de acrescentar uma informação a propósito da questão tratada neste artigo. Os SIMAR têm livro de reclamações online.
    Descobri hoje qundo fui procurar informação sobre um corte no abastecimento de água.

  2. Judite Castro says:

    Por que não perguntar o que se passa com o lixo ao presidente dos SIMAR, Hugo Martins, presidente também da Câmara Municipal de Odivelas?

  3. Juvenal Ferreira says:

    Há aqui uma falha de informação.
    A presidência dos SIMAR é alternada.
    Neste momento o Presidente dos SIMAR é o Presidente da Câmara de Odivelas, Hugo Martins.
    ver: http://www.cm-odivelas.pt/index.php/noticias/1023-hugo-martins-e-o-novo-presidente-dos-simar

    Portanto, se a gestão do lixo em Odivelas está mal gerida, perguntem o que se passa ao Senhor Presidente dos SIMAR. Hugo Martins tomou posse a 19 de Abril de 2016 e o seu mandato é de 18 meses.

    http://odivelas.com/2016/04/06/odivelas-hugo-martins-toma-posse-como-presidente-dos-simar/

  4. Miguel Galaz says:

    E entretanto? O que poderemos nós os cidadãos fazer para combater esta problemática?