breaking news

BE – PELA TRANSPARÊNCIA EM ODIVELAS

Agosto 10th, 2017 | by Odivelas.com
BE – PELA TRANSPARÊNCIA EM ODIVELAS
Autarquicas 2017
0

À nossa redação chegou a seguinte nota de imprensa do Bloco de Esquerda de Odivelas que passamos a divulgar:

MAIS BLOCO PELA TRANSPARÊNCIA EM ODIVELAS
A transparência é uma das condições basilares para o funcionamento regular das instituições democráticas.
Em Odivelas há muito que o executivo PS-PSD, que sempre governou a Câmara Municipal, não adota práticas de transparência e rigor na gestão da autarquia. As avenças têm se sucedido ao longo dos anos, desbaratando meios públicos sem que o quadro de pessoal do município seja dotado dos recursos humanos necessários à sua atividade.

Mário Máximo é um dos exemplos mais paradigmáticos da falta de transparência e rigor na gestão da autarquia. O ex-vicepresidente da CMO (mandato 2009-2013), que em 2005 tinha ficado sem o lugar de vereador (o PS elegeu apenas 4 e ele era o 6º), foi compensado com a direção da Odevelcult  e após a sua extinção transitou para a vereação. Já a partir de 2013 esteve à frente da empresa municipal Municipália até à sua extinção, (estando ainda 3 meses na Com. Liquidatária), tem agora uma avença com o município que ronda os 2500 euros mensais. Aquando da sua contratação, em resposta ao Bloco de Esquerda, o Presidente da Câmara Municipal informou que Mário Máximo era responsável pela área da lusofonia. Contudo, desde há meses as atividades relacionadas com essa temática são da responsabilidade do vereador da cultura, Edgar Valles, apesar da avença ao ex-vice da autarquia permanecer intocável..

Mais recentemente tem sido noticiado o envolvimento do vereador Paulo César Teixeira no caso conhecido como “Huaweigate”. Independentemente do que vier a ser apurado nas instâncias judiciais competentes, casos como este demonstram que há um longo caminho a percorrer no combate pela transparência na gestão da coisa pública. Segundo tem sido noticiado, este caso pode envolver pagamentos de viagens e estadias na China por parte da empresa de Huawei a titulares de cargos públicos, procurando obter vantagens no fornecimento de bens e serviços aos organismos tutelados por essas pessoas.

Esse alegado esquema envolve vários elementos do PSD e o vereador da Câmara Municipal de Odivelas eleito pelo Partido Socialista.
No que se refere à CMO foram mencionadas também as ligações da Chefe da Divisão Financeira e de Aprovisionamento a algumas pessoas implicadas nesse caso.

O bloco central de interesses revela assim que o rotativismo ao centro não traz a alternativa que as pessoas precisam e nem promove a transparência e o rigor na administração dos bens públicos. Os partidos políticos são responsáveis pelas suas escolhas e têm de ser avaliados por isso.

Em Odivelas, PS e PSD são os dois lados da mesma moeda, como se percebe, também, pelo facto do executivo municipal ter como seu mandatário jurídico no “caso do Odivelas Futebol Clube” um advogado pertencente à sociedade de Fernando Seara. Sempre que enfrenta uma problemática, o executivo municipal PS-PSD escolhe privilegiar o interesse privado em vez de valorizar e promover o desenvolvimento dos serviços públicos.

Para a Concelhia de Odivelas do Bloco de Esquerda está mais do que na hora de colocar as pessoas que vivem e trabalham em Odivelas no centro das prioridades das e dos responsáveis municipais. A 1 de Outubro a população pode colocar um ponto final nesta promiscuidade entre os interesses privados e os poderes públicos, dando mais força ao Bloco e, com isso, garantindo que o combate pela transparência terá o lugar primordial que a democracia nos exige.

Odivelas, 10 de agosto de 2017,
A Concelhia de Odivelas do Bloco de Esquerda

Comments are closed.